Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

13 Outubro de 2017 | 14h36 - Actualizado em 13 Outubro de 2017 | 14h35

Falta de bibliotecas condiciona processo de ensino e aprendizagem em Menongue

Menongue - A falta de bibliotecas em algumas escolas do I e II ciclo do ensino secundário em Menongue, capital do Cuando Cubango, constitui, há anos lectivos, uma das maiores preocupações no campo investigativo por parte dos alunos e professores.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Alunos e professores de escolas do I e II ciclo do ensino secundário lamentaram o facto de, nas suas instituições, não existir bibliotecas ou um ciber-cafés para facilitar a investigação de várias matérias leccionadas e permitir maior absorção dos conteúdos.

Na escola do II ciclo do ensino secundário de Formação Geral 22 de Novembro, o director da instituição, Inocêncio Herculano, admitiu que a falta de biblioteca tem dificultado a execução de trabalhos investigativos dos estudantes.

O responsável informou que a escola nunca beneficiou de nenhuma biblioteca, o que levou a direcção a recorrer a uma biblioteca virtual para facilitar a investigação de alguns conteúdos.

Lembrou que a biblioteca é a base de investigação e de consultas para o desenvolvimento intelectual dos alunos, tendo avançado que já existem projectos para a abertura de uma biblioteca na instituição, mas por dificuldades financeiras e económicas que o país vive, o projecto encontra-se ainda paralisado.

O estudante da 11ª classe, do curso de Ciências Económicas e Jurídicas, André Sambo, destacou que a biblioteca ajuda o aluno, pelo que a sua ausência constitui um grande transtorno.

“Muitos alunos têm recorrido à internet para pesquisa de algumas matérias. A falta de saldo de dados no telefone, às vezes, leva a perca de avaliações dos professores”, notou o discente.

Para ele, a direcção provincial da educação deve olhar com muita atenção sobre as políticas que possam ajudar na criação desse bem essencial para o aluno e professor, uma vez que é no ensino médio onde o aluno é preparado para ingressar na universidade.

Já na escola do I e II ciclo do Ensino Secundário Nº24 Comandante Hoji-Ya-Henda, Ladislau Dias, coordenador de turno e professor de 7ª classe, deu a conhecer que a instituição não possui biblioteca, razão pela qual tanto o professor como aluno investigam consoante as duas possibilidades.

Defendeu a necessidade de o Ministério da Educação apostar na abertura de pequenas bibliotecas nas escolas no sentido de permitir que o processo de ensino e aprendizagem tenha, a cada ano lectivo, os resultados desejados.

A estudante desta instituição da 8ª classe, Verónica Afonso, lamentou o facto da não existência deste bem escolar, porquanto os alunos são obrigados, por esta carência, a terem sempre uma poupança financeira para a compra de saldo de dados para o telemóvel, com vista a facilitar a investigação.

Na cidade de Menongue existe apenas uma biblioteca ligada a Direcção Provincial da Cultura que, no entanto, não responde as necessidades dos estudantes tendo em conta que possui apenas um acervo constituído por obras literárias de escritores angolanos e não livros cientificos que possam ajudar no processo de formação académica.

Leia também