Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

01 Fevereiro de 2018 | 15h08 - Actualizado em 01 Fevereiro de 2018 | 15h08

Ensino nas comunidades na aposta do governo do Namibe

Moçamedes - Compatibilizar o ensino nas comunidades pastorais que, devido ao problema endémico da seca, estão sujeitas aos sucessivos movimentos de transumância constitui um dos desafios da educação no Namibe para o presente ano lectivo, afirmou hoje, quinta-feira, o governador do Namibe, Carlos da Rocha Cruz.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

governador do namibe, Carlos Rocha

Foto: Lino Guimarães

Carlos da Rocha Cruz, que falava no acto de abertura do ano lectivo 2018, disse que o governo local traçou estratégias que foram já lançadas e que conta com maior envolvimento das autoridades tradicionais, anciãos e líderes comunitários que reconhecem as vantagens da instrução.

Apontou as dificuldades para a defesa das suas manadas contra as doenças e  a necessidade do uso de um telemóvel ou condução de uma motorizada como problemas resultantes da falta de instrução educativa das comunidades rurais.

“Estas habilidades só podem ser adquiridas de forma correcta num centro de instrução, sabendo ler e escrever “, disse.

Reconheceu existir  áreas rurais com alguma evolução no sector educativo, dando exemplo das comunas da Lucira, Bentiaba e Capangombe, esta ultima pronta para leccionar o ensino técnico profissional para o sector agro-pecuário.

A implementação do pólo de desenvolvimento da educação é uma pretensão do governo do Namibe, que começa a ser executado este ano, dando assim uma experiência ao ensino integrado, em que a criança inicia o pré-escolar, os estudos primários e segue ao ensino secundário, culminando com o ensino superior.

O Namibe conta com seis mil 615 professores efectivos, 338 voluntários e 581 funcionários administrativos para atender 142 mil 086 alunos dos diferentes níveis de ensino não universitários, em 179 escolas.

Para o presente ano lectivo, fruto do aumento significativo da procura, foram atendidos 41 mil 582 novos alunos das classes da iniciação e para o efeito são necessários mais de 3 mil 741 novos professores e a construção de mais salas de aulas.

Assuntos Província » Namibe  

Leia também
  • 14/03/2018 16:55:01

    Estudantes aconselhados a apostar na investigação científica

    Moçamedes - Os estudantes do Instituto Superior Gregório Semedo foram aconselhados nesta quarta-feira, em Moçamedes, pela vice-governadora para área Económica, Politica e Social no Namibe, Josefa Cangombe, a apostarem na investigação científica, para que possam estar munidos de ferramentas necessárias para abordar às questões relacionadas com o mundo actual.

  • 13/03/2018 11:53:51

    Estudantes aconselhados a apostar na formação académica

    Tômbwa - Os estudantes do Instituto Médio Politécnico José Francisco Republicano foram aconselhados nesta terça-feira a apostar na formação académica, para que possam dotar-se de conhecimentos sólidos e capazes de contribuir no desenvolvimento do país.

  • 08/03/2018 15:35:47

    Academia de Pescas e Ciências do Mar do Namibe suspende cobrança de propinas

    Moçamedes - A Academia de Pescas e Ciências do Mar suspendeu a cobrança de propinas de 15 mil kwanzas/mês neste ano académico, segundo um despacho da instituição a que a Angop teve acesso hoje, quinta-feira.

  • 07/03/2018 13:29:31

    Força política contra propinas na Academia de Pescas

    Moçâmedes - A coligação CASA-CE manifestou terça-feira a intenção de solicitar a anulação da cobrança de propinas na Academia de Pescas e Ciências do Mar, situada na província do Namibe.