Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

05 Novembro de 2018 | 13h40 - Actualizado em 05 Novembro de 2018 | 13h40

MESCTI reitera aposta na qualidade

Luanda - A melhoria da rede de Instituições de Ensino Superior (IES), o aumento de cursos e de graduados, bem como a qualidade do ensino ministrado, com o reforço da qualidade de mestres e doutores, foi hoje, segunda-feira, realçada como uma das apostas do Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação (MESCTI).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Bragança Sambo

Foto: Clemente dos Santos

Para o MESCTI é importante desenvolver o sistema de avaliação e certificação do ensino superior, promover a investigação nas universidades e nos centros de investigação do país, com investigadores científicos de carreira, bem com laboratórios apetrechados e em conexão com redes internacionais de investigação e de divulgação, partilha e acesso a dados, nacionais e internacionais.

A ministra do sector, Maria do Rosário Sambo, defendeu este ponto de vista na abertura do I Conselho Consultivo do MESCTI que se realiza em Luanda, onde estão a ser abordados aspectos as estratégias e políticas relativas ao desenvolvimento do ensino superior, ciência e tecnologia e inovação, entre outros.

Para Maria do Rosário Sambo, a melhorar a rede de instituições do IES implica, em primeiro lugar, providenciar a racionalização de todos os recursos existentes, o que poderá levar à contracção de IES e reformular a distribuição das por regiões académicas.

“Concluiu-se que a implementação do conceito de regionalização do ensino superior não revelou alinhamento com um plano de desenvolvimento económico regional do país, tendo em atenção a condição do ensino superior como motor do desenvolvimento”, acrescentou.  

Uma das políticas passa por maior interacção entre o MESCTI com os diferentes actores da sociedade civil, contribuindo no reforço do Estado Democrático e de Direito, bem como para a boa governação, disse, explicando que toda interacção inscreve-se no âmbito das estratégias nacionais que passa pela consolidação da paz, o reforço do estado de democrático e de direito, boa governação, reforma do estado e descentralização.

A interlocutora sublinhou estarem a resolver, a título excepcional, as situações de congelamento na carreira por falta de concurso público de acesso, com a aplicação do Estatuto da Carreira Docente do Ensino Superior (ECDES).

“Priorizamos esta medida, o que não significa que travámos os ingressos, pelo contrário, os trâmites para o concurso público de ingresso correm e esperamos ser céleres para a sua pronta execução”, advogou.

Assuntos Angola  

Leia também
  • 05/02/2019 14:48:22

    Salas "desertas" no primeiro dia de aulas

    Luanda - Várias escolas da província de Luanda registaram, na manhã desta terça-feira, um cenário de salas vazias e corredores "abarrotados", no primeiro dia de aulas do ano lectivo 2019.

  • 29/01/2019 07:57:29

    Banco Económico oferece 150 bolsas de estudo para ensino superior

    Luanda - Cento e cinquenta bolsas de estudo para o ensino superior, mais 50 em relação ao ano académico 2018, serão disponibilizadas este ano pelo Banco Económico, anunciou , nesta terça-feira, em Luanda, a instituição.

  • 28/01/2019 17:22:18

    Novos cursos do ISCED preenchem 1º dia de exames de admissão

    Luanda - Os cursos de Educação de Infância, com 40 vagas para o período regular, e Ensino Primário, com 100, sendo 40 para regular e 60 para o período pós-laboral, tiveram primazia, nesta segunda-feira, no primeiro dia de exames de acesso ao Instituto Superior de Ciências de Educação (ISCED).

  • 28/01/2019 17:18:08

    Legalizados 104 cursos superiores para o ano académico 2019

    Luanda - Cento e quatro cursos, dos 144 ilegais registados pelo Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação (MESCTI), em 2018, foram legalizados, informou, nesta segunda-feira, em Luanda, o secretário de Estado para o Ensino Superior, Eugénio Silva.