Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

15 Abril de 2018 | 13h06 - Actualizado em 15 Abril de 2018 | 13h06

Contexto actual exige competência técnica e cientifica dos estudantes

Humpata - A nova demanda social exige cada vez mais estudantes com competências técnicas e cientificas, daí a importância da realização permanente de jornadas científico-pedagógicas nas instituições de ensino, defendeu sábado, nesta cidade, a chefe de departamento de inspecção da direção provincial da Educação da Huíla, Paula Jacob

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Huíla: Paula Jacob - Chefe de Departamento inspecção da direcção provincial de Educação

Foto: Saturnino Tomás

A responsável , que falava no encerramento das 10ª jornadas científico-pedagógicas do Instituto Politécnico da Humpata (IPH) que decorreram sob o lema"IPH, 10 anos na formação de técnicos profissionais, contribuindo para a qualificação da mão-de-obra das empresas", disse que o contexto actual caracteriza-se por uma crescente presença da ciência e tecnologia nas actividades produtivas e relações sociais.

Afirmou que o evento reuniu profissionais com o objectivo de discutir assuntos de interesse da escola e da comunidade, tendo em conta a finalidade do ensino técnico e profissional que, para além de facilitar, também forma técnicos para o fortalecimento do mundo empresarial e do mercado de trabalho.

Declarou que com a implementação da Reforma Educativa do ensino técnico-profissional em Angola, iniciada em 2001, houve igualmente a abertura de institutos superiores politécnicos a nível do país, surgindo assim em 2008 o IPH.

As jornadas, com a duração de dois dias , abordaram temáticas como “O papel do empreendedorismo juvenil no crescimento económico dos municípios” “Organização geral da indústria como base para a diversificação da economia”, “Transformação do som em energia eléctrica”, “Aplicação da informática no processo de ensino e aprendizagem”, entre outras.

O IPH, fundado em 2008, dispõe de cursos de construção civil, energia e instalação eléctrica, de engenharias informática, electrónica e de telecomunicações, energia renováveis, gestão ambiental.

Possui 17 salas de aulas teóricas e seis laboratórios, sendo quatro de informática, um de física e outro de química. Desde a sua fundação formou mil 353 jovens lançados no mercado de trabalho e em formação no interior e exterior do país.

Leia também