Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

06 Setembro de 2018 | 12h21 - Actualizado em 06 Setembro de 2018 | 12h21

Política Nacional de Educação de Adultos entre as prioridades do MED

Luanda - O Ministério da Educação tem entre as suas prioridades, para os próximos tempos, a elaboração da Política Nacional de Educação e Aprendizagem de Adultos, estudo que terá apoio da Unesco para uma avaliação do ensino de adultos no país e, posteriormente definir uma política que vá de encontro as necessidades actuais.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Evaristo Pedro - Director Nacional de Educação de Adultos (Arquivo)

Informou hoje, quinta-feira, em Luanda, o Director Nacional de Educação de Adultos, Evaristo Pedro, quando falava à Angop, a propósito das comemorações do dia Internacional da Alfabetização celebrado a 8 de Setembro (sábado).

Evaristo Pedro avançou ja terem sido dados alguns passos nesta perspectiva para a legislação de todas as acções afectas ao ensino de adultos, não só de cariz académico mas também profissional.

Assim sendo, disse que pretendem no futuro criar condições também para o II ciclo do ensino secundário de adultos (10ª, 11ª e 12ª classes), tendo em conta que para o próximo ano lectivo serão implementadas em todo país turmas para o I ciclo do ensino secundário.

Segundo o director as vantagens são inúmeras, sendo o aluno adulto aquele que tem uma pré disposição para questões práticas, ou seja ele não está a estudar para o futuro mas para hoje,  então esta modalidade de ensino reúne ou agrupa os conteúdos em função da necessidade do aluno.

“O país está empenhado na missão da diversificação da economia, o que só se consegue com recursos humanos, não apenas com naturais, é preciso que haja homens capazes para levarem a cabo este desenvolvimento”, frisou.

O objectivo é garantir a educação dos jovens que não tiveram oportunidade de se formar no período regular, reforçou.

Afirmou que actualmente o mundo está muito dependente dos recursos digitais, o que considera uma porta para que outros conhecimentos sejam adquiridos, ou seja para usar todos recursos tecnológicos é preciso que a pessoa saiba ler e escrever.

O MED controla 560 mil formandos no ensino de adultos e  nove mil e seiscentos alfabetizadores.

A Unesco decidiu como lema para as festividades do 8 de Setembro de 2018 “A alfabetização e o desenvolvimento de competências”,  por existir uma relação entre a alfabetização  e a aquisição de outras habilidades da vida que todo adulto precisa para o exercício da cidadania, bem como para sua inserção no mundo do trabalho.

O dia 8 de Setembro foi proclamado como o dia Internacional da Alfabetização na 14ª sessão da Conferência Geral da Unesco a 26 de Outubro de 1966. Desde 1967 as celebrações desta data acontecem anualmente em todo mundo.

Assuntos Educação  

Leia também
  • 06/09/2018 02:05:45

    Concurso público na Educação insuficiente para vagas existentes

    Luanda - Dezoito mil e 747 é o número de candidatos aprovados a nível nacional, nas quatro categorias de ensino, no concurso público do Ministério da Educação, restando 1.253 para preencher as vinte mil vagas existentes para professores no país.

  • 05/09/2018 21:01:06

    Bolsas de estudos norte-americanas disponíveis aos alunos do Huambo

    Huambo - Os estudantes da província do Huambo interessados em se formar nos Estados Unidos de América (EUA) poderão beneficiar, pela primeira vez, de bolsas de estudos disponibilizadas pela Embaixada daquele país em Angola, cujo projecto já está em curso há cinco anos.

  • 05/09/2018 18:41:25

    SINPROF confiante no bom senso do Executivo

    Mbanza Kongo - O Sindicato Nacional de Professores (SINPROF) manifestou hoje, quarta-feira, em Mbanza Kongo, província do Zaire, esperança na resolução das reivindicações da classe pelo Executivo.