Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

10 Setembro de 2018 | 22h41 - Actualizado em 10 Setembro de 2018 | 22h41

Educação assume dívida aos titulares de cargos de direcção e chefia

Huambo - O sector da Educação na província do Huambo deve, desde 2015, 143 milhões de kwanzas a 47 titulares de cargos de direcção e chefia empossados em diversas escolas do ensino geral.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Huambo : Diretor do gabinete Províncial da Educação - Manuel Sampaio do Amaral

Foto: VALENTINO YEQUENHA

A confirmação é do director do sector, Manuel Sampaio do Amaral, em declarações hoje, segunda-feira, à Angop, reagindo a denúncia feita, na semana passada, pelo sindicato local dos trabalhadores da educação, cultura, desporto e comunicação social.

Explicou que a dívida decorre do facto das contas bancárias dos 47 titulares de cargos de direcção e chefia terem sido rejeitadas pelo sistema de pagamento.

Admitiu que o valor em causa esteve disponível no sistema até às 15h00 do dia 31 de Dezembro de 2015, numa altura em que o sector estava a terminar o processo de pagamento dos subsídios de todos aqueles que ostentavam cargos de directores de escolas e outras funções, facto que não se consumou, devido a irregularidades na documentação bancária de 47 responsáveis.

Contudo, Manuel Sampaio do Amaral deu a conhecer que tudo está a ser feito, em conjunto com o Ministério das Finanças, governo da província e sindicato da Educação, para se liquidar a dívida.

O director do gabinete de educação da província do Huambo informou que entre os 47 titulares de cargos de direcção e chefia constam directores e sub-directores de escolas do ensino primário, I e II ciclo do ensino secundário.

Manuel Sampaio do Amaral aproveitou a ocasião para explicar a situação dos 80 professores que, desde Abril, continuam com salários suspensos, por alegadas irregularidades constatadas durante o cadastramento efectuado pelo Ministério das Finanças.

Segundo o responsável, 50 destes professores verão a sua situação remuneratória resolvida a partir das folhas de Setembro, desconfiando que os restantes (30) têm a sua situação condicionada por alegada dupla efectividade ou serem trabalhadores “fantasmas”.

Assuntos Província » Huambo  

Leia também