Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

10 Setembro de 2018 | 23h34 - Actualizado em 10 Setembro de 2018 | 23h34

Município da Ganda regista diminuição de alfabetizandos

Ganda - Quatro mil e 690 cidadãos foram alfabetizados no primeiro semestre deste ano, no município da Ganda (Benguela), no quadro do Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar em curso no país, menos mil e 284 em relação ao mesmo período do ano anterior.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Aula de alfabetização (Arquivo)

Foto: Pedro Parente

O processo de aprendizagem, que decorreu de Fevereiro a Junho último, alfabetizou mil e 939 cidadãos nos módulos "Sim eu posso" e dois mil 751 no método "Gostar de ler". 

Em declarações, hoje, segunda-feira, à Angop, o coordenador do referido programa na Ganda, Severino Daniel, disse que o número de alfabetizandos reduziu devido a desistência dos alfabetizadores, por falta de pagamento dos seus subsídios mensais.

O responsável deu a conhecer que a maior redução de alfabetizandos registou-se no módulo "Sim eu posso", cuja cifra foi de três mil e 223 cidadãos no primeiro semestre do ano passado, contra os actuais mil e 939.

Segundo Severino Daniel, os alfabetizadores não recebem os seus subsídios, de 10 mil kwanzas/mês, há três anos.

O responsável apontou a actual conjuntura económica e financeira vigente no país, como estando na base desses atrasos, mas garantiu haver perspectivas de solução a curto prazo, uma vez que foi já feita a actualização dos processos individuais para se colmatar a situação.

O coordenador acrescentou que, no processo de alfabetização, estão envolvidos 45 alfabetizadores, contra os 50 do ano passado, sendo 20 no ensino da metodologia "Sim Eu Posso" e 25 para módulo "Gostar de Ler”.

Severino Daniel informou, por outro lado, que o índice de analfabetismo é mais alto nas zonas rurais, com maior incidência para a comuna da Chikuma, uma das quatro existentes na Ganda. 

Apelou maior rigor e engajamento dos actores sociais em prol do processo de erradicação do analfabetismo na circunscrição.

Na Ganda, estão actualmente em funcionamento 30 salas de aulas de alfabetização, distribuídas em catequeses e comités de acção de algumas formações políticas sedeadas nos bairros, aldeias e quimbos, registando-se nalguns casos dois alfabetizadores em cada turma.

Leia também
  • 04/09/2018 23:01:20

    Especialista defende aumento de salas de aulas para crianças com necessidades especiais

    Catumbela - A instalação de salas de aulas do ensino primário em todos os municípios do país para albergar as crianças com necessidades especiais de aprendizagem deve ser uma prioridade do Governo angolano, de modo a garantir a igualdade dos cidadãos no acesso à educação.

  • 01/09/2018 10:28:22

    Benguela: Decana defende reestruturação curricular dos cursos do Isced

    Benguela - A decana do Instituto Superior de Ciências de Educação (Isced) de Benguela, Maria Mendes, defendeu, sexta-feira, nesta cidade, a necessidade de se repensar na reestruturação curricular dos cursos desta instituição, para que a formação docente possa atender as necessidades educativas e incorporar práticas já definidas e referenciadas.

  • 30/08/2018 16:47:59

    Responsável quer abordagem das autárquias no ensino superior

    Benguela - A necessidade de inserção nas instituições de ensino superior de temas relacionados com a governação autárquica, no que tange à transferência do poder local ao cidadão, foi advogada hoje, quinta-feira, pelo vice-governador para área Técnica de Benguela, Leopoldo Muhongo.