Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

11 Setembro de 2018 | 16h31 - Actualizado em 11 Setembro de 2018 | 16h31

Pesquisador advoga regulamentação dos trabalhos científicos

Benguela - A necessidade de regulamentação das regras de concepção e apresentação dos trabalhos científicos nas universidades, para maior credibilidade dos estudos desenvolvidos em Angola, foi defendida, hoje, terça-feira, pelo director do Centro de Ajuda Académica, Deodato Francisco.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Deodato Francisco - Director do Centro de Ajuda Académica

Foto: Rosário Miranda

Em declarações à Angop, na cidade de Benguela, à margem de um curso de Metodologia de Investigação Científica e Pesquisa Aplicada, o director disse que Ministério do Ensino Superior, as universidades, docentes e estudantes, devem definir as regras dos trabalhos científicos para se assegurarem a qualidade destes estudos.

Para o responsável, essas normas devem estabelecer a metodologia, técnicas e os critérios para se validar um estudo.

Deodato Francisco referiu que a pesquisa científica visa resolver problemas sociais e académicos.

Para tal, acrescentou, há que se ter um plano de investigação muito bem delineado.

Os trabalhos científicos, ressaltou, devem ser escritos de forma simples e clara, para que a informação possa ser entendida facilmente.

Segundo Deodato Francisco, as instituições do ensino superior precisam de maior rigor na selecção dos doentes que leccionam a disciplina da Metodologia de Investigação Científica, bem como de melhor critério de escolha e validação dos trabalhos académicos dos estudantes.

Aconselhou aos professores a administrarem mais aulas práticas do que teóricas, no sentido tornar os estudantes mais capazes para os desafios de desenvolvimento do país.

Já aos discentes, sugeriu um melhor desempenho e pesquisa criteriosa de conteúdos que contribuem para elaboração dos seus trabalhos.

A finalidade do trabalho académico, salientou, é contribuir para que a investigação científica possa corresponder aos anseios da sociedade.

“Os Estados Unidos da América (EUA), Brasil e Portugal regulamentaram as normas dos trabalhos científicos, o que não acontece em Angola. Enquanto essa situação prevalecer, vamos continuar a trabalhar com muita insegurança, porque cada universidade usa a sua metodologia e isso não está a ajudar a comunidade académica nacional”, asseverou.

Esta formação, com duração de cinco dias, é uma iniciativa do Centro de Ajuda Académica que visa capacitar tutores, docentes e estudantes universitários para concepção e apresentação de trabalhos científicos, pré-projectos, monografias, dissertações e teses.       

O Centro realiza, nas províncias de Luanda, Benguela e Huíla, formações ligadas à metodologia de investigação científica e pesquisa aplicada.

O Centro de Ajuda Académica foi constituído à luz do Direito Angolano e publicado na IIIª Série do Diário da República n.º 37 de 25 de Fevereiro de 2015.  

Leia também
  • 11/09/2018 11:45:12

    Académico aconselha gestores a reduzir número de alunos por turma

    Benguela - O professor universitário Figueiredo Canjangue instou hoje, terça-feira, os gestores escolares a reduzir o número de estudantes por cada turma, de modo a que os docentes possam dispensar o tempo necessário a cada aluno e se melhorar a qualidade do ensino.

  • 10/09/2018 23:34:28

    Município da Ganda regista diminuição de alfabetizandos

    Ganda - Quatro mil e 690 cidadãos foram alfabetizados no primeiro semestre deste ano, no município da Ganda (Benguela), no quadro do Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar em curso no país, menos mil e 284 em relação ao mesmo período do ano anterior.

  • 04/09/2018 23:01:20

    Especialista defende aumento de salas de aulas para crianças com necessidades especiais

    Catumbela - A instalação de salas de aulas do ensino primário em todos os municípios do país para albergar as crianças com necessidades especiais de aprendizagem deve ser uma prioridade do Governo angolano, de modo a garantir a igualdade dos cidadãos no acesso à educação.