Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

25 Setembro de 2018 | 14h43 - Actualizado em 25 Setembro de 2018 | 14h43

Professores na Lunda Norte querem conteúdos locais nos manuais escolares

Dundo - Os futuros manuais escolares devem ser elaborados com base na realidade local cujos conteúdos elevam o país no contexto das nações, recomendaram hoje, terça-feira, no Dundo, Lunda Norte, os participantes no encontro de apresentação da proposta da Política do Livro Escolar.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Os conteúdos de livros escolares de Geografia e de história devem reflectir a realidade local, tratando os aspectos territoriais, a divisão e localização geográfico, bem como a demografia, origem, hábito e costumes dos habitantes da região ou local do aluno 

Os professores apelaram, na ocasião, para a necessidade da importância da sequência lógica dos conteúdos na elaboração dos livros para o ensino primário, I e II ciclos do ensino secundário com a perspectiva para o ensino superior.

Os manuais e os programas para as línguas estrangeiras devem enfatizar a fonética, com o objectivo de facilitar a pronúncia e consequentemente o aperfeiçoamento da competência comunicativa dos alunos, ficando a parte técnica da língua para níveis avançados do ensino.

Foi igualmente defendida a contribuição dos escritores angolanos na elaboração do manual escolar, sobretudo para aquelas obras que abordam factos relevante do país, bem como a produção de cartilhas que facilitam na aprendizagem da língua nacional cokwe.

Os livros de disciplinas de carácter experimental devem ter em conta as actividades experimentais que correspondam os objectivos com os respectivos conteúdos.

O encontro foi orientado pela directora do Gabinete Provincial da Educação, Bernardete Cola Cachco, e testemunhado pelo vice-governador para área Técnica e Infra-estruturas da Lunda Norte.

A Política do Livro Escolar terá vigência de cinco anos e vai abranger os manuais de todos os níveis do ensino geral do subsistema de Educação Pré-escolar, Ensino Geral, Formação de Professores, Técnico-Profissionais e Educação de Adultos, que serão de utilização obrigatória nas instituições de ensino públicas, particulares e comparticipadas.

Visa democratizar o processo de concepção, elaboração e produção dos manuais do ensino geral, através da realização de concursos públicos, para assegurar conteúdos que estejam em conformidade com os programas curriculares e critérios científicos

O debate público tem como finalidade é a recolha de contribuições válidas de diferentes individualidades e organizações da sociedade civil, para o melhoramento e enriquecimento da actual proposta.

Leia também