Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

11 Outubro de 2018 | 20h35 - Actualizado em 12 Outubro de 2018 | 08h24

Sinprof quer tempo de serviço em consideração no novo estatuto

Benguela - O presidente do Sindicato Nacional dos professores (Sinprof), Guilherme Silva, afirmou hoje, quinta-feira, nesta cidade, que a instituição não vai aceitar a "imposição"do ministério da Educação sobre a transição para o novo Estatuto da Carreira Docente, sem considerar o tempo de serviço dos docentes.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Presidente do SINPROF, Guilherme Silva.

Foto: NELSON MALAMBA

Segundo o responsável, que falava à imprensa, a margem do VI Conselho Consultivo Nacional Ordinário do sindicato, com duração de dois dias, o Executivo, através do ministério da Educação, está a tentar impor a transição para o novo estatuto da carreira docente, tendo em conta apenas o nível académico, passando um "corrector" no tempo de serviço dos professores.

O sindicalista referiu que no ante-projecto do Estatuto da Carreira Docente constava a questão do tempo de serviço, mas que agora foram surpreendidos com um novo documento diferente do anterior e que não leva em consideração o tempo de serviço.

"O sindicato vai se engajar no sentido de elaborar uma contra proposta, devidamente fundamentada, de forma a preservar a questão do tempo de serviço na transição para o novo estatuto", frisou o responsável.

Guilherme Silva avançou que o Sinprof exige melhores salários para os professores, uma vez que muitos estão há cerca de 10 anos sem promoções.

Considerou haver necessidade de se compensar o tempo de serviço, no sentido de se valorizar o professor, tal como tem defendido o Presidente da República.

"Se quisermos tirar o ensino do "poço" em que se encontra, porque consideramos que a sua qualidade está nos cuidados intensivos, é preciso valorizarmos o professor, porque é o actor principal para execução das políticas educativas", disse o sindicalista.

De acordo com Guilherme Silva, a contra proposta do sindicato será conhecida já na próxima semana, antes da programada reunião com a entidade patronal, agendada para o dia 18 do corrente.

O Sindicato Nacional dos professores (Sinprof) controla em todo país cerca de 80 mil filiados.

O Conselho Consultivo conta com a participação de delegados provenientes das 18 províncias do país, que debatem, fundamentalmente, sobre o novo Estatuto da Carreira Docente.

Leia também
  • 10/10/2018 13:21:21

    Sindicalistas apoiam unificação do regime remuneratório da função pública

    Benguela - Os membros da direcção executiva da Federação dos Trabalhadores da Educação, Cultura, Desporto e Comunicação Social de Angola apoiam a intenção do governo de unificar a estrutura indiciária no regime remuneratório da função pública, afirmou hoje, em Benguela, o seu secretário para a informação, Marcial Ludivino.

  • 07/10/2018 11:19:19

    Excursionistas do Waku-Kungo no Lobito para troca de experiências

    Lobito - Cento e seis excursionistas provenientes do Waku-kungo, município da Cela, província do Cuanza Sul, trocaram sábado, no Lobito, experiências com os quadros do sector da Educação, sobre os desafios relacionados com o processo de ensino e aprendizagem.

  • 05/10/2018 19:03:34

    Congregação "Franciscanas de Maria" constrói escola na Ganda

    Ganda - Uma escola para o nível primário e I ciclo do ensino secundário, com oito salas de aulas, vai ser erguida no bairro periférico do Indongo-II, no município da Ganda, província de Benguela, pela congregação das "Franciscanas Missionárias de Maria", afecta à igreja Católica, soube Angop.