Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

31 Maio de 2019 | 22h48 - Actualizado em 31 Maio de 2019 | 22h48

Universidade Kimpa-Vita necessita de 20 novas salas

Uíge - Vinte (20) novas salas de aulas são necessárias no polo da Universidade Kimpa-Vita no Uíge, afecto a VII Região académica, para a melhoria do processo de ensino e aprendizagem naquela instituição de ensino superior, anunciou hoje, sexta-feira, o reitor, João Gaspar da Silva.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Esta necessidade foi apresentada durante a reunião com os membros da VI Comissão da Assembleia Nacional (Parlamento) que, durante quatro dias, avaliaram a situação social da província do Uíge, num encontro encabeçado pelo deputado Victor Kajinbanga ( presidente da comissão).

Na ocasião, João da Silva anunciou que a Universidade Kimpa-Vita no Uíge possui 35 salas de aulas, número insuficiente para responder às necessidades dos estudantes matriculados para este ano lectivo de 2019, num universo de oito mil e 817 alunos, pelo que justificam-se mais obras, atendendo que ainda há espaço vasto no seu terreno.

Uma vez construídas as 20 novas salas de aulas, disse, a instituição estará igualmente em condições de enquadramento de outros estudantes. A unidade tem também necessidade de meios de transportes e de mais laboratórios, pois existem apenas os de Química, Engenharia Informática e Agronomia, que são insuficientes.

No capitulo da pesquisa, o professor referiu que a falta de verbas inviabiliza também a implementação e conclusão de alguns projectos, como os trabalhos de investigação científico e dos projectos em cursos como de Bomba de Água Azul e outros.

A Universidade Kimpa-Vita no Uíge tem três unidades orgânicas, as Faculdades de Direito e de Economia e uma escola superior politécnica. Este ano academico leccciona com 185 docentes e 414 administrativos, dos quais 108 colaboradores.

No final da visita, o chefe de VI Coomissão do Parlamento pediu à direcção da Universidade para continuar com as pesquisas e divulgação dos seus projectos, procurando financiamentos para que possam ser implementados com vista a contribuir para o desenvolvimento da província.

Quanto ao ISCED-Uíge, exortou para mais trabalho com vista a melhorar as condições locais de estudo, sobretudo na reabilitação do edifício, aumento de salas de aulas, criação de linhas de investigação científica e a extensão, bem como na formação dos quadros que funcionam nas bibliotecas e laboratórios.

Victor Kajinbanga apelou ainda aos responsáveis do Instituto Superior de Ciencias da Educação (ISCED) para trabalharem também na sustentabilidade da instituição, para a continuidade do processo de melhoramento das condições de ensino e aprendizagem.

Enquadramento de mais quadros nos sectores da educação geral e do ensino superior, formações contínuas dos técnicos, entre outras preocupações, foram abordadas no encontro entre os parlamentares angolanos e os titulares das duas instituiçoes de ensino superior da província.

Leia também
  • 28/05/2019 18:10:28

    Universidade do Porto apoia projecto do CIBEA

    Lubango - O reitor da Universidade do Porto (UP), António Pereira, manifestou hoje, terça-feira, na cidade do Lubango, província da Huíla, o interesse de apoiar o desenvolvimento do projecto do Centro de Estudos de Biodiversidade e Educação Ambiental (CIBEA).

  • 28/05/2019 09:51:10

    Namibe ganha 461 novos licenciados

    Moçâmedes - A província do Namibe conta com 461 novos licenciados em Magistério Primário, Física, Química, Matemática, Geografia, Biologia Marinha, Contabilidade e Gestão, Engenharia Eléctrica, Engenharia Mecânica, Engenharia Ambiental e Engenharia Metalúrgica.

  • 25/05/2019 06:30:10

    Universidade prepara jovens para desafios actuais do país

    Lubango - A sociedade angolana está numa fase de mudança que coloca sobre os ombros dos jovens grandes responsabilidades, pelo que a Universidade Mandume Ya Ndemufayo assumiu o compromisso de prepará-los para que estejam à altura dos problemas do contexto.