Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

14 Outubro de 2019 | 17h36 - Actualizado em 14 Outubro de 2019 | 17h56

Governador quer mais acções para melhoria do ensino

Uíge- O governador provincial do Uíge, Pinda Simão, defendeu hoje, segunda - feira, a promoção de mais acções para melhoria da qualidade do ensino e do processo de aprendizagem.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Realizado pelo Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento da Educação em Angola, o estudo visou colher contribuições da sociedade sobre as mudanças que devem ser inseridas nos currículos da educação pré-escolar, do ensino geral e da formação de professores, tendo em vista a melhoria da qualidade educativa.

A pesquisa objectivou também captar opiniões da sociedade em relação as mudanças necessárias para garantir uma melhor relação entre o ensino e a aprendizagem na materialização do currículo nacional.

Apreender as perspectivas da sociedade sobre as mudanças necessárias nas práticas avaliativas actuais, de modo a melhorar a qualidade da relação entre os processos de ensino e da aprendizagem, constituíram igualmente propósito do estudo.

Ao pronunciar-se na abertura da apresentação do relatório final do Inquérito Nacional sobre Adequação Curricular em Angola (INACUA), Pinda Simão considera necerssário que os intervenientes do processo, nomeadamente alunos e professores participem afincadamente na construção da reforma educativa.  

Disse que a reforma educativa vigente no país trouxe um conjunto de situação referentes as condições da realidade social actual, como técnica e profissional, sobretudo o modus da sua implementação, cuja adequação e correcção deve ocorrer de forma pontual.

O governador apontou a necessidade de formações constantes do pessoal do sector da educação, implementação de mais conteúdos para o sistema do ensino e aprendizagem para o desenvolvimento do sector da educação no país.

Já no Cuanza Sul o director provincial do gabinete da Educação, Carlos de Brito Pacheco, afirmou que o novo plano curricular servirá de instrumento para a melhoria do ensino e aprendizagem em Angola.

O inquérito, adiantou, foi de harmonização das exigências de um currículo nacional com necessidades de atender as especificidades locais, através da contextualização e da recontextualização dos saberes universais com recurso à integração curricular.

Segundo Carlos de Brito Pacheco, a reforma educativa tinha quatro objectivos: expandir a rede escolar, melhorar a qualidade do processo de ensino aprendizagem, reforçar a eficácia do sistema educativo e melhorar a qualidade do sistema de educação.

Adiantou  que é necessário adequar o desenvolvimento curricular, com a realização da teoria e prática do processo de ensino e da aprendizagem na escola, tendo em conta o respectivo contexto e justificação político social.

Enquanto no Cuanza Norte, o vice-governador para o sector de infra-estruturas, Mendonça Luís, enalteceu a iniciativa do sector da educação e defendeu o empenho abnegado dos docentes e quadros para o alcance dos objectivos traçados.

Na Lunda Sul, o chefe de departamento de Investigação Educacional do INIDE, José Amândio, disse ser fundamental os técnicos do sector dominarem os instrumentos.

O responsável frisou que o Ministério da Educação vai implementar, a partir do ano lectivo 2022, um novo plano curricular, com programas, livros escolares, guias de professores e de materiais de avaliação actualizados.

Segundo o coordenador nacional do referido inquérito, Amílcar Gonçalves, entre as sugestões que deverão ser incluídas nos novos manuais curriculares a serem introduzidos a partir de 2022 está a necessidade da avaliação periódica do rendimento académico dos alunos.

Avançou que o sector pretende implementar novos paradigmas, com ênfase às teorias socio-construtivistas de aprendizagem, que atribuem ao aluno a condição de sujeito activo, participativo e crítico no processo de ensino e aprendizagem.

Apontou como actuais debilidades as que se prendem com a fraca capacidade dos alunos de lidar com a resolução de simples problemas ou exercícios matemáticos, assim como as insuficiências em leitura.

Leia também
  • 11/10/2019 19:12:33

    Icolo e Bengo realiza jornada pedagógica

    Icolo e Bengo - A direcção de educação do município de Icolo e Bengo, em Luanda, realizou hoje (sexta-feira) a primeira jornada pedagógica com objectivo de discutir a interação entre a escola e a comunidade e a promoção de educação de qualidade.

  • 10/10/2019 18:53:59

    Mais de mil estudantes abandonam escola no Kilamba Kiaxi

    Luanda - Mil e quatrocentos e dezoito estudantes abandonaram a escola neste ano lectivo, no município do Kilamba Kiaxi, em Luanda, por mudança de residência, gravidez precoce e delinquência juvenil, informou a directora municipal da Educação Noémia Canoquela.

  • 08/10/2019 15:51:59

    Angola presente nas Olimpíadas Africanas da Matemática

    Mbanza Kongo- Angola tem confirmada presença n fase final das Olimpíadas Africanas de Matemática em juniores, a ter lugar em 2020, com um representante da categoria de sub-16.