Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Entrevistas

09 Janeiro de 2017 | 12h15 - Actualizado em 09 Janeiro de 2017 | 11h35

Retrospectiva2016: Medalhas da CPLP e nova direcção no atletismo

Luanda - A conquista de quatro medalhas nos 10º Jogos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Cabo Verde, e a alteração na presidência da federação constituem o destaque da modalidade no ano de 2016.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

São Silvestre 2016: Início da prova

Foto: Henri Celso

(Por Ventura Bengo)

No âmbito das eleições, Carlos Rosa perdeu o lugar na direcção da presidência de direcção da Federação Angolana de Atletismo para Bernardo João.

Na competição da Ilha do Sal, as medalhas foram obtidas, uma medalha de prata outra de bronze por Hermenegildo Leite, nos 100 e 200 metros, e duas de bronze por Rita Lucumbe, nos 200 e 400.  

Participaram no evento Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor Leste, com atletas de ambos os sexos dos sub-16, excepto a natação e o atletismo paralímpico em que podem participar atletas dos sub-20.

Sobre o processo de renovação de mandato ao abrigo do ciclo olímpico, o aspirante e antigo campeão de lançamento de dardo, Bernardo João, superou o presidente cessante Carlos Rosa, com 11 votos contra nove. O acto realizado no anfiteatro do Comité Paralímpico Angolano, contou dos 21 eleitores, tendo 11 preferido a  mudança, nove a manutenção e registou-se um voto nulo.

O novo máximo da FAA manifesta a intenção de expandir e desenvolver a modalidade em todo território nacional. Tenciona aplicar uma pista de tartan na província da Huila, uma melhor organização administrativa e técnica, assim como a realizar competições nacionais e provinciais de corta-mato, estrada e pistas.

Já o candidato derrotado e presidente cessante, Carlos Rosa, reconheceu a vitória do adversário e prometeu colaborar para o desenvolvimento da modalidade.

Carlos Rosa esteve à frente da federação durante dois mandatos (desde 2008) e tinha como prioridade, caso fosse reconduzido, trabalhar com os governos provinciais no sentido de se criar circuitos de terra batida no formato de pista, para reforçar o processo de massificação da modalidade. A formação de treinadores, juízes cronometristas e atletas também constavam no seu programa. 

Constituíram a população votante as associações provinciais da Lunda Norte, Uíge, Cuando Cubango, Bié, Bengo, Benguela, Namibe, Huila e Cabinda, os clubes 1º de Agosto, Petro-Atlético e Interclube (Luanda), Atlético do Namibe e Sporting de Moçamedes (Namibe), Benfica do Lubango e Desportivo (Huila), Domant FC (Bengo), 1º de Maio (Benguela), Petro (Huambo), Sporting (Bié).

Ainda no capítulo interno, foram realizadas as provas contidas no calendário de competições da época, mormente os campeonatos nacionais de juvenis, juniores e seniores.

Na formação, deu-se início à implementação do Projecto “Kit Athletics”, após assinatura do Protocolo com Ministério da Educação, ministrado pelo professor Anselmo Liatunga, nas províncias de Luanda, Huíla, Bengo, Cabinda, Huambo e Namibe, perfazendo um total de 398 monitores formados.

Na segunda fase, prevê-se estender este ano às províncias do Cuanza Sul, Bié, Lunda Norte, Cuando Cubango e Uíge.

Inclui-se a preparação de meia centena de monitores e treinadores (Nível 1) da Federação Internacional (IAAF), sob a coordenação do professor Bernardo Manuel, antigo campeão nacional.         

Ainda com o apoio da IAAF, no âmbito do projecto “Atletas Olímpicos Dividendos”(AOD), para o quadriénio 2016/2020, de preparação aos Jogos Olímpicos de Tóquio (Japão), foi obtida bolsa para o atleta Hermenegildo Leite, no Centro de Alto Rendimento (HPC), em Tuks University de Pretória, África do Sul, com ingresso marcado este mês de Janeiro.

Registou-se também estágio da selecção nacional  de estafetas 4x100 m em sub-20, no Centro “The Demo”, em Swakopmund, na Namíbia, com apoio do órgão reitor mundial da modalidade (IAAF).

Quanto à tradicional corrida de fim de ano, a 61ª edição da São Silvestre de Luanda registou a ausência de corredores estrangeiros convidados e uma redução dos prémios, em consequência da actual crise económica.

O Interclube dominou a corrida em ambos os sexos.    

Assuntos Atletismo   Retrospectiva  

Leia também