Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Institucional

05 Dezembro de 2017 | 17h37 - Actualizado em 05 Dezembro de 2017 | 17h35

Ministério quer solução consensual para extensão do sinal da Rádio Ecclésia

Luanda - O Ministério da Comunicação Social está empenhado em encontrar uma solução consensual para a extensão do sinal da Rádio Ecclésia (Emissora Católica de Angola) a todo o território nacional, afirmou, esta terça-feira, em Luanda, o titular da pasta, João Melo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ministro da Comunicação Social, João Melo

Foto: Angop/Arquivo

O ministro avançou essa intenção à margem da abertura de uma acção formativa destinada aos directores do Gabinete de Imprensa da Conferência Episcopal de Angola e São Tome (CEAST), que decorre no município de Viana, em Luanda.

Depois de realçar o respectivo papel e importância histórica no mundo e em Angola, João Melo considerou que “é perfeitamente legítimo que a Igreja Católica se preocupe em aperfeiçoar, cada vez mais, os seus mecanismos e instrumentos de comunicação com o resto da sociedade”.

Na ocasião, o presidente da comissão da Comunicação Social da CEAST, Dom Tirso Blanco, disse que a expansão do sinal da Rádio Ecclésia a todo o país permitirá fazer ouvir a voz dos bispos, dos pastores e o evangelho.

Durante dois dias,  os participantes vão abordar temas como a “Assessoria de imprensa vs relacionamento com mídia e instituições oficiais”, “A comunicação ontem e hoje”, “Técnicas de assessoria de imprensa”, e “Princípios éticos - ética da comunicação”.

Vão reflectir ainda sobre as “Fontes de informação”, “Instrumentos e técnicas de comunicação”, “Tecnologias de comunicação”, “Procedimentos para elaboração de projectos” e “O impacto da comunicação radiofónica”.

Leia também