Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

20 Março de 2011 | 23h36 - Actualizado em 20 Março de 2011 | 23h36

UA exige cessação de hostilidades e compromisso do processo de reforma na Líbia

Mauritânia

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Nouakchott – O Comité ad hoc formado pela União Africana (UA) sobre a Líbia, reunido em Nouakchott sábado à noite, exigiu a cessação imediata das hostilidades neste país, noticiou hoje (domingo) a agência Panapress.

Esta reacção surge na sequência do desencadeameto sábado à noite do ataque aéreo protagonizado pela França com o apoio dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha contra a Líbia.

Num comunicado hoje (domingo), o Comité ad hoc da UA convida as autoridades líbias "a facilitar, com diligência, e encaminhar a ajuda humanitária às populações necessitadas" e "a protecção dos cidadãos estrangeiros, incluindo os africanos trabalhadores imigrantes que vivem na Líbia".

A Comissão disse reconhecer as aspirações legítimas do povo líbio à democracia, à reforma política, à justiça, à paz e à segurança, bem como ao desenvolvimento socio-económico e à necessidade de velar para que essas aspirações sejam satisfeitas de forma pacífica e democrática .

Ele aconselha a adopção e implementação de reformas políticas necessárias para eliminar as causas da crise actual.

Os Presidentes da Mauritânia, Mohamed Ould Abdel Aziz, do Mali, Amadou Toumani Touré, e do Congo, Denis Sassou Nguesso, participaram nesta reunião do Comité, enquanto  a África do Sul e o Uganda foram representados.

Por outro lado, a deslocação dos chefes de Estado membros desta estrutura, inicialmente agendada para domingo, foi anulada enquanto se aguarda pelo fim das hostilidades que haviam solicitado.