Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

28 Abril de 2012 | 22h39 - Actualizado em 28 Abril de 2012 | 22h38

Autoridades simulam sismo que provocou trinta mortos em Leiria

Portugal

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Leiria - A divisão de Protecção Civil e de Bombeiros da Câmara Municipal de Leiria organizou hoje (sábado), um exercício que simulou a resposta a um "sismo" que afectou o centro histórico da cidade, causando 30 mortos. 


 
O comandante operacional da divisão, Artur Figueiredo, disse que o cenário do exercício assentou num sismo de magnitude 6,5 da
escala de Richter, com a duração de 58 segundos, que afectou uma área com um raio superior a quatro quilómetros.   


 
O abalo a que o dispositivo de protecção civil teve de responder  teve o epicentro no mar e provocou a queda de pontes,
desmoronamento de edifícios, incêndios, cortes de electricidade, água e gás, causando 30 mortos, 18 feridos graves e 80 ligeiros.
Ficaram ainda desalojadas 60 pessoas, assim como 40 turistas italianos com mobilidade reduzida. Registaram-se 20
desaparecidos, alguns soterrados.   


 
Artur Figueiredo destacou "capacidade de resposta de todos os agentes da protecção civil do concelho", acrescentando que "a
cidade de Leiria pode contar com esta estrutura para uma situação real".  


 
O exercício decorreu numa das salas do Estádio Municipal de Leiria, com objectivo de testar as capacidades técnico-operacionais dos agentes e estruturas de protecção civil que estão definidos no Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil de Leiria".  


 
Para o comandante, uma das coisas que correu menos bem foi o local onde o comando estava instalado. "A sala era muito pequena
e existiam várias comunicações a ocorreram ao mesmo tempo, o que é difícil.

O presidente da Câmara de Leiria, Raul Castro, considerou que "é  com estes exercícios que se pode melhorar" as capacidades de
resposta a catástrofes, ao testar a "ligação entre as diversas entidades".  


 
A análise final ao exercício irá permitir a "actualização e elaboração de Planos Prévios de Intervenção, complementares ao Plano
Municipal de Emergência". 


 
O próximo exercício será em terreno e está agendado para o final de 2012 ou primeiro trimestre de 2013.