Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

15 Dezembro de 2014 | 05h48 - Actualizado em 15 Dezembro de 2014 | 08h38

Timor Leste : Tribunal de Díli determina libertação imediata de Mauk Moruk e comandante Labarik

Díli - O Tribunal de Díli ordenou sábado a libertação imediata de Paulino Gama e José Santos Lemos, antigos comandantes da guerrilha timorense, detidos preventivamente em Março por alegada tentativa de instabilidade, anunciou hoje o advogado de defesa.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bandeira de Timor Leste

Foto: Divulgação

"A decisão do tribunal foi anunciada depois de, no passado dia 5, termos pedido pela quinta vez para revogar a prisão preventiva", afirmou em conferência de imprensa o advogado, Paulo Remédios.

Segundo Paulo Remédios, a defesa foi pedindo a revogação da prisão preventiva porque o Ministério Público ainda não fez qualquer acusação contra os dois indivíduos por falta de evidências.

Paulino Gama (Mauk Moruk) e José Santos Lemos (comandante Labarik) foram colocados em Março em prisão preventiva pelo Tribunal Distrital de Díli no âmbito de uma investigação a dois grupos por alegada tentativa de instabilidade em Timor-Leste.

Os homens foram detidos pela polícia timorense em cumprimento de uma resolução do parlamento aprovada também em Março que condenava o que classificou como tentativas de instabilidade e ameaças ao Estado protagonizadas pelo Conselho de Revolução Maubere e pelo Conselho Popular da Defesa da República de Timor-Leste (CPD-RDTL).

Todos os envolvidos naquele processo, cerca de 20 pessoas, continuam sob termo de identidade e residência até ser concluída a investigação do Ministério Público.

Segundo Paulo Remédios, a investigação deverá ser concluída e arquivada por "falta de evidências".

"Desde o início que se via que não havia evidências fortes e sérias para fazer uma acusação", sublinhou, na conferência de imprensa onde estiveram presentes os dois comandantes, acrescentando que foi precipitado deter as pessoas.  

Assuntos Internacional  

Leia também
  • 15/11/2018 19:02:03

    Governo do Iêmen apoia esforços de paz da ONU mas Hodeida permanece

    Hodeida, Iêmen - O presidente do Iêmen, Abd Hadi, apoiou os esforços da ONU para pôr fim a quatro anos de guerra no seu país, mas especialistas advertem que a cidade portuária de Hodeida continua ameaçada por novas acções militares.

  • 14/11/2018 12:21:27

    Parlamento do Sri Lanka aprova moção de censura contra Rajapaksa

    Colombo - O Parlamento do Sri Lanka aprovou nesta quarta-feira uma moção de censura contra o novo primeiro-ministro do país, o ex-presidente Mahinda Rajapaksa, nomeado no final de Outubro pelo presidente, Maithripala Sirisena, em uma decisão surpreendente que afundou o país numa crise institucional.

  • 13/11/2018 17:32:16

    Amnistia Internacional retira prémio a Aung San Suu Kyi

    Londres - A Amnistia Internacional vai retirar a Aung San Suu Kyi o prémio Embaixadora de Consciência, o mais importante galardão atribuído pela organização de direitos humanos.

  • 13/11/2018 04:58:20

    Republicana admite derrota em eleição no Arizona

    EUA - A republicana Martha McSally admitiu nesta segunda-feira sua derrota na eleição no Arizona por uma cadeira no Senado dos Estados Unidos, uma vitória simbólica dos democratas neste importante Estado, que não elegia um senador do partido há três décadas.