Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

25 Julho de 2016 | 10h20 - Actualizado em 25 Julho de 2016 | 10h19

EUA: Presidente do Partido Democrata renuncia cargo

Filadélfia - A presidente do Partido Democrata americano, Debbie Wasserman Schultz, anunciou neste domingo que renunciará o seu cargo no final da convenção de indicação de Hillary Clinton, que começa nesta segunda-feira, na Filadélfia.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O anúncio de Wasserman Schultz foi feito depois de dois dias de intensa pressão dentro do partido para que ela abandonasse o cargo por causa do escândalo pelos emails internos que mostram que a direcção partidária tentou beneficiar Clinton e prejudicar o senador Bernie Sanders durante as primárias.

Numa nota oficial, Wasserman Schultz afirmou que se propõe a ajudar a fortalecer o Partido Democrata e a candidatura de Clinton.

"A melhor forma para mim de cumprir esses objectivos é renunciar a meu posto de presidente do partido ao fim da convenção", escreveu.
               
Na noite de sexta-feira, o site Wikileaks publicou cerca de 20 mil mensagens internas do Partido Democrata desde o início da campanha, gerando um forte escândalo que estourou a apenas dois dias do início da Convenção Nacional que deveria ser uma festa da unidade em torno de Clinton.

Em muitos desses emails, altos funcionários do Partido Democrata discutiam como prejudicar a candidatura de Sanders durante a campanha interna e beneficiar Clinton.

Já durante a campanha, Sanders havia acusado abertamente Wasserman Schultz de não desempenhar sua função de presidente do partido de forma neutra, e chegou a insistir na necessidade de sua imediata renúncia ao cargo para evitar que a disputa interna fosse
manchada por suspeitas.

Neste domingo, Jeff Weaver, que foi chefe da campanha de Sanders, não conseguiu esconder a enorme irritação do campo democrata com o escândalo.

"Eles diziam que era neutros, e nós sabíamos que não eram. Agora, temos a prova de que tentavam plantar histórias negativas sobre Sanders. Os eleitores estão furiosos, e com razão", disse Weaver à imprensa.

Em meio ao escândalo, no início da manhã a equipe de Wasserman Schultz informou à imprensa que tinha decidido retirar seu nome da lista de oradores durante a convenção, e que ela não presidiria os trabalhos do congresso partidário. Mais tarde, foi anunciada sua decisão de renunciar ao final da Convenção.

Numa nota, Clinton agradeceu à "velha amiga Debbie Wasserman por sua liderança".

O presidente Barack Obama disse: "Nesta tarde (domingo) telefonei para Debbie para dizê-la que a agradeço pelos esforços que fez nos cinco anos que presidiu o comité nacional".

Assuntos Política  

Leia também
  • 05/02/2019 19:39:37

    Senado americano contraria Trump sobre retirada de tropas da Síria

    Washington - O Senado dos EUA aprovou nesta segunda-feira, por ampla maioria, uma emenda importante à decisão do presidente Donald Trump de retirar as tropas americanas da Síria e do Afeganistão, um sinal do profundo desconforto causado por essa estratégia entre as suas próprias fileiras republicanas, informou a EFE.

  • 05/02/2019 19:32:00

    Enviado americano vai a Pyongyang preparar nova cúpula entre Trump e Kim

    Washington - O enviado especial dos Estados Unidos para a Coreia do Norte, Stephen Biegun, viaja nesta quarta-feira à Pyongyang para reunir-se com o seu homólogo Kim Hyok-chol e preparar a segunda cimeira entre Donald Trump e Kim Jong-un, noticiou a EFE.

  • 05/02/2019 19:10:03

    May usa candidatura à Copa de 2020 para tentar salvar Brexit

    Londres - A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, cogitou nesta terça-fera (5) a hipótese de candidatar o país junto com a República da Irlanda para sediar a Copa do Mundo de 2030, em meio ao impasse sobre o acordo do Brexit.

  • 05/02/2019 19:01:55

    Talibãs exigem nova Constituição para Afeganistão

    Cabul - Os talibãs exigem uma nova Constituição para o Afeganistão e propuseram um "sistema islâmico inclusivo" para dirigir o país, disse um dos seus representantes durante uma reunião realizada em Moscovo nesta terça-feira (5), com figuras políticas afegãs.