Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

21 Abril de 2017 | 18h29 - Actualizado em 21 Abril de 2017 | 18h29

Elizabeth II faz 91 anos sem sinais de abandonar o trono

Londres - A rainha Elizabeth II faz, nesta sexta-feira, 91 anos, 65 deles no trono britânico, sem sinais visíveis de que deixará as suas funções, com excepção de um abandono paulatino das viagens muitos longas.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Rainha Elizabeth II

Foto: LEON NEAL


As comemorações foram discretas em comparação com as do seu aniversário de 90 anos, que incluíram a extensão do horário de abertura dos bares e terminaram com um piquenique para milhares de pessoas na importante avenida londrina The Mall, que termina no Palácio de Buckingham, sua residência.

Elizabeth II teve quatro filhos, oito netos e cinco bisnetos; 13 primeiros-ministros passaram pelo seu reinado, e 16 países estiveram sob a sua Coroa.

Em Junho de 2016, a monarca descreveu o seu estado com um sucinto "ainda estou viva", numa conversa com o recentemente falecido Martin McGuinness, líder republicano da Irlanda do Norte.

A rainha comemora o seu aniversário duas vezes: uma no dia 21 de Abril, em privado, e a outra publicamente em Maio ou Junho, quando o clima está mais ameno, presidindo um grande desfile militar.

De todos os modos, nesta sexta-feira foram lançadas as tradicionais 41 salvas de canhão no Hyde Park, e 62 na Torre de Londres, a fortaleza medieval na margem do rio Tâmisa, além de em outros pontos do país.

Numa decisão quase sem precedentes, Elizabeth II cancelou vários compromissos de Natal devido a um resfriado, mas continua estando muito presente no primeiro plano. Em 2016, compareceu a 332 compromissos oficiais, 341 em 2015, e 393 em 2014.
              
Com vistas a reduzir um pouco a actividade, a rainha renunciou recentemente ao patronato de 25 organizações beneficentes (das 600 às que pertence), delegando a função a outros membros da família real. Além disso, cedeu ao seu filho Charles, de 67 anos, muitas das suas viagens oficiais longas.

Elizabeth II nasceu em Londres em 21 de Abril de 1926. Quando assumiu o trono, em 1952, com apenas 25 anos, Winston Churchill era o primeiro-ministro, a Índia tinha acabado de conseguir a sua independência e a Grã-Bretanha ainda governava em partes da Ásia e da África.

Desde então, tornou-se um símbolo de continuidade, tendo passado pela dissolução do Império Britânico, a Guerra Fria, as mudanças sociais do pós-guerra, os felizes anos 1960, a chegada da era digital e a saída da União Europeia, decidida num referendo de 23 de Junho de 2016.
    
A rainha, que sempre ostentou uma popularidade alta, tornou-se às 17h30 de 9 de Setembro de 2016 a monarca britânica a ocupar o trono por mais tempo: 23.226 dias, 16 horas e aproximadamente 30 minutos, ou 63 anos, sete meses e dois dias, ultrapassando a sua tataravó Victoria, que reinou entre 1837 e 1901.

Assuntos Sociedade  

Leia também
  • 21/03/2017 13:38:56

    Rainha da pornografia japonesa aposenta-se aos 80 anos

    Tóquio - Depois de uma década tirando a roupa para filmes proibidos para menores, uma actriz japonesa pornografica famosa por ser a mais velha do país decidiu aposentar-se aos 80 anos, noticiou a AFP.

  • 20/03/2017 19:02:58

    Noruega é considerada o país mais feliz do mundo

    Nova Iorque - O clima frio não impediu a Noruega de ser considerada o país mais feliz do mundo, segundo ranking do World Happiness Report 2017 divulgado nesta segunda-feira, o Dia Internacional da Felicidade.

  • 12/03/2017 20:08:40

    Descoberta na Venezuela de corpos numa prisão encerrada reacende crise

    Caracas - A descoberta dos restos de catorze pessoas na principal prisão da Venezuela, fechada temporariamente há cinco meses, reacende o debate sobre a crise penitenciária no país, entre denúncias de irregularidades e violações dos direitos humanos.