Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

14 Setembro de 2017 | 09h46 - Actualizado em 14 Setembro de 2017 | 09h46

Chefe da ONU pede que Myanmar suspenda operações contra rohingyas

Nações Unidas, Estados Unidos - O secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu na quarta-feira que Myanmar suspenda as suas operações militares contra a minoria rohingya, que já provocaram a fuga de 400.000 para o Bangladesh, noticiou a AFP.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

"Faço um apelo às autoridades de Myanmar para que suspendam as actividades militares e a violência, e que respeitem a lei", declarou
Guterres, durante uma conferência de imprensa.

Quando perguntado por um jornalista se a actual crise seria uma limpeza étnica, Guterres respondeu: "quando um terço da população
rohingya deve fugir do país, vocês acham que podem encontrar uma palavra melhor para descrever" a situação?!

Assuntos Conflito  

Leia também
  • 14/09/2017 18:00:33

    Iémen: Rebeldes ameaçam Abu Dhabi com mísseis

    Sanaa - O líder dos rebeldes no Iémen, Abdel Malek Al-Huthi, ameaçou hoje disparar mísseis contra os Emirados Árabes Unidos e lançar ataques navais contra locais e plataformas petrolíferos sauditas.

  • 14/09/2017 17:12:44

    Submarinos russos lançam mísseis contra posições do EI na Síria

    Moscovo - Os submarinos russos Veliki Novgorod e Kolpino lançaram nesta quinta-feira, a partir do Mediterrâneo, sete mísseis de cruzeiro Kalibr contra alvos dos jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI) junto à cidade síria de Deir al Zor, informou o Ministério de Defesa da Rússia.

  • 12/09/2017 17:42:31

    Militares russos afirmam que 85 porcento da Síria está livre do EI

    Moscovo - O chefe das forças russas na Síria, Alexander Lapin, afirmou nesta terça-feira que 85 porcento do território sírio está livre de combatentes do Estado Islâmico (EI), como resultado das operações realizadas na semana passada pelo exército do país com o apoio da aviação russa.