Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

07 Dezembro de 2018 | 13h58 - Actualizado em 07 Dezembro de 2018 | 13h58

May envia ministros a várias partes do país para explicar Brexit à população

Londres - A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, enviou nesta sexta-feira 30 integrantes de seu governo para diferentes distritos do país para explicar à população os benefícios de apoiar o acordo do Brexit, a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), indicaram hoje fontes oficiais.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ministros e secretários de Estado estão se reunindo com as pessoas em escolas e centros comunitários de várias regiões do país, em uma tentativa para fazer com que a própria população pressione seus deputados para que votem em favor do pacto no próximo dia 11.

O acordo, apoiado no mês passado pelos 27 Estados-membros do bloco, foi rejeitado por partidos de oposição e deputados conservadores eurocéticos, o que torna provável que May perca a votação que será realizada na próxima terça-feira na Câmara dos Comuns.

Vários deputados esperam votar contra porque rejeitam o mecanismo de "backstop" na fronteira entre a República da Irlanda e a Irlanda do Norte como forma de evitar uma nova fronteira entre os dois, mantendo-a invisível para não prejudicar o processo de paz na província britânica.

Em uma tentativa para conseguir apoio, a primeira-ministra conservadora não descartou quinta-feira que caberá aos deputados decidir se o "backstop", ou "garantia", será ativado ou não.

O "backstop" prevê que o Reino Unido permaneça na união aduaneira e que a Irlanda do Norte também esteja alinhada com certas normas do mercado único, a não ser que Londres e Bruxelas apresentem uma solução alternativa para a fronteira, ou até que estabeleçam uma nova relação comercial.

Esse vínculo comercial deverá ser negociado entre Londres e Bruxelas no período de transição, que começará após o Brexit, em 29 de março de 2019, e terminará no fim de 2020.

O mecanismo de "backdrop" pode chegar a ser indefinido se não houver um acordo comercial entre as partes quando acabar o período de transição, algo que causa inquietação a muitos deputados.

Além disso, Graham Brady, presidente do chamado Comitê 1922, formado pelos deputados conservadores na Câmara dos Comuns, se mostrou favorável quinta-feira à noite ao adiamento da votação de 11 de Dezembro caso não seja encontrada uma solução para a controversa "garantia".

Apesar do escritório oficial da primeira-ministra ter insistido que não haverá adiamento, Brady declarou quinta-feira à noite aos veículos de imprensa que o mais importante é conseguir "clareza" sobre esse problema.

"O mais importante é conseguir respostas a uma pergunta relevante (...), de forma que essa pergunta possa ser respondida no decorrer dos próximos dias", disse Brady.

"Se isso não for possível, então, certamente, seria pertinente o adiamento da votação, até o momento em que possamos responder à pergunta", especificou o presidente do comité.

Assuntos Economia  

Leia também
  • 05/02/2019 18:18:34

    Irão diz que países da Europa não têm comprado seu petróleo

    Teerão - O Irão diz que nações europeias não têm respondido a suas ofertas de venda de petróleo, mesmo com licenças dos Estados Unidos. A agência de notícias semi-estatal Fars citou o ministro do Petróleo iraniano, Bijan Zanganeh, segundo o qual "nós temos telefonado para eles muitas vezes, mas não respondem nossas ligações".

  • 05/02/2019 14:56:15

    Acordo da Apple com fisco francês para pagamento de impostos atrasados

    Paris - O grupo americano Apple chegou a um acordo com a administração fiscal francesa para pagar dez anos de impostos atrasados, informou a empresa à AFP, confirmando uma informação da revista francesa L'Express.

  • 01/02/2019 17:26:23

    Inflação na zona do euro desacelera, a 1,4% em Janeiro

    Bruxelas - A inflação na zona do euro desacelerou-se em Janeiro, a 1,4%, frente a 1,6% de Dezembro - apontam dados provisórios divulgados nesta sexta-feira (1º) pelo Gabinete de Estatísticas da União Europeia, o Eurostat.

  • 01/02/2019 12:59:20

    Sector industrial da China contrai mais que o esperado em Janeiro, mostra PMI do Caixin

    Pequim - A actividade industrial da China registou em Janeiro o ritmo mais forte de contracção em quase três anos com o recuo das novas encomendas e da produção, mostrou a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI) do Caixin/Markit, reforça os temores de uma desaceleração na segunda maior economia do mundo.