Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

13 Março de 2018 | 23h54 - Actualizado em 13 Março de 2018 | 23h53

EUA: Pentágono continua a apoiar acordo com Irão

Washington - O acordo nuclear com o Irão continua a ser do interesse dos Estados Unidos, avaliou nesta terça-feira (13) um alto funcionário do Pentágono, apesar das críticas do presidente Donald Trump ao pacto.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

 

"Sim, tenho a mesma opinião" do secretário de Defesa Jim Mattis e do chefe do Estado-Maior Joe Dunford, que consideram que está nos interesses dos Estados Unidos conservar o acordo com Teerão, disse o comandante das forças americanas.

O pacto limita rigorosamente as actividades nucleares de Teerã para garantir sua natureza pacífica, em troca de um levantamento das sanções financeiras contra o Irão.

Assuntos Negociações  

Leia também
  • 13/03/2018 22:40:00

    EUA: Trump mira tarifas sobre USD 60 bilhões em importações chinesas

    WASHINGTON - O governo do presidente norte-americano Donald Trump busca impor tarifas sobre 60 bilhões de dólares de importações chinesas pelos Estados Unidos e vai mirar os sectores de tecnologia e telecomunicações.

  • 13/03/2018 11:56:14

    Reino Unido: Juncker prepara textos legislativos sobre "divórcio"

    Londres - O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, defendeu hoje, em Estrasburgo, que se comecem a preparar os textos legislativos de modo a organizar a saída do Reino Unido do bloco europeu e as futuras relações entre ambos.

  • 13/03/2018 10:47:59

    EUA: Trump impede compra da norte-americana Qualcomm

    Washington - O Presidente dos Estados Unidos ordenou hoje à empresa de Singapura Broadcom que termine as tentativas para comprar a norte-americana Qualcoom, pela qual lançou uma OPA hostil de 117 milhões de dólares, considerando que ameaça a segurança nacional, noticiou a Lusa.