Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

28 Julho de 2018 | 01h04 - Actualizado em 28 Julho de 2018 | 15h43

Presidente do Equador negocia fim de asilo diplomático de Julian Assange

Londres - O presidente do Equador, Lenín Moreno, afirmou nesta sexta-feira (27) que esta a negociar a saída de Julian Assange da embaixada equatoriana em Londres, exilado desde 2012.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Fundador do Wikileaks, Julian Assange

Foto: JOHN STILLWELL

O fundador do Wikileaks, Julian Assange, poderá deixar a embaixada do país em Londres, no Reino Unido, encerrando assim, o asilo político que já dura seis anos.

A negociação entre o governo do Equador e as autoridades britânicas acontece porque, segundo Lenín Moreno, “é uma violação aos direitos humanos que uma pessoa permaneça tanto tempo asilada”.

O presidente do equador destacou ainda que a mudança no status Julian Assange não deve ocorrer caso o australiano “esteja em risco”.

Ainda durante o seu pronunciamento, o líder equatoriano comentou que “jamais esteve de acordo com a actividade realizada por Assange, assim como nunca concordou com as intervenções em e-mails privados de pessoas para obter informações, por mais valiosas que sejam”.

O criador do WikiLeaks está em asilo diplomático em Londres desde Junho de 2012, quando buscou a embaixada do Equador a fim de escapar da extradição para a Suécia, onde era acusado de abuso sexual. Na época, o então presidente Rafael Correia apoiou o ciber-activista.

Assuntos Acordo  

Leia também