Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

05 Agosto de 2018 | 12h16 - Actualizado em 05 Agosto de 2018 | 12h16

Colômbia: Pacto para desenvolvimento do país principal objectivo do novo presidente

Bogotá - O Presidente eleito da Colômbia, Ivan Duque, assume o cargo na terça-feira e o seu objectivo principal é construir um pacto com os vários sectores da sociedade para impulsionar o desenvolvimento do país.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Iván Duque, de 42 anos, quer agregar ao Estado o sector privado e a sociedade civil, deixando para trás a polarização política que marcou a sua eleição para suceder na Presidência a Juan Manuel Santos, no passado dia 17 de Junho.

Duque, membro do partido direitista Centro Democrático, tem a primeira vice-Presidente do país, Marta Lucía Ramírez, e como prometeu em sua campanha terá 50 por cento  do seu Governo composto por mulheres, que disse terem sido escolhidas pelas suas capacidades e não por sua filiação política.

O próximo chefe de Estado colombiano quer criar um governo modernizador cujos pilares sejam, como explicou, "legalidade, empreendimento e equidade", tendo como eixos transversais as infra-estruturas, a inovação e a sustentabilidade ambiental.

Austeridade é a outra palavra-chave do discurso de Duque, que disse estar consciente da necessidade de reduzir o gasto público, sublinhando que haverá responsabilidade no tratamento dos recursos públicos.

Iván Duque tem ainda como desafio manter e continuar a aplicação do acordo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) - antiga guerrilha de esquerda, que foi assinado ainda no governo do seu antecessor Juan Manuel Santos.

O novo Presidente tem ainda o desafio de realizar um pacto com o Exército de Libertação Nacional (ELN), guerrilha de inspiração marxista-leninista, que não chegou a acordo com Juan Manuel Santos para encerrar a sua actuação.

Para governar, Duque contará com uma bancada maioritária no Congresso depois de forjar alianças com vários partidos como o Partido Conservador, o Cambio Radical e o Partido Social de Unidade Nacional, tanto no Senado como na Câmara dos Deputados, que começaram as suas sessões a 20 de Julho.

Iván Duque nasceu a 01 de Agosto de 1976, em Bogotá, no seio de uma família abastada.

O Presidente eleito estudou Direito na Universidade Sergio Arboleda, em Bogotá e fez um mestrado em Direito Económico na American University e um outro em Gestão de Políticas Públicas na Universidade de Gerogetown, ambas nos Estados Unidos.

Grande parte da sua vida profissional decorreu nos Estados Unidos, já que foi conselheiro do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), em Washington, por quase uma década.  

Assuntos Acordo  

Leia também
  • 06/02/2019 18:41:54

    Macedônia assina protocolo de adesão à OTAN

    Bruxelas - A Macedônia assinou nesta quarta-feira o protocolo de adesão à OTAN, um passo-chave no caminho para aderir à Aliança depois de resolver a sua disputa com a Grécia em relação ao nome do país.

  • 26/01/2019 08:07:26

    Trump firma acordo que acaba com 'shutdown'

    Washington - O presidente Donald Trump firmou nesta sexta-feira (25) um acordo com a oposição democrata para reabrir temporariamente o governo federal, paralisado há um recorde de cinco semanas devido à disputa sobre o financiamento do muro na fronteira entre Estados Unidos e México.

  • 25/01/2019 15:44:59

    Parlamento grego valida acordo do novo nome da Macedônia do Norte

    Atenas - O Parlamento grego aprovou nesta sexta-feira o acordo histórico sobre o novo nome da Macedônia, pondo fim a uma questão que dificultou durante anos as relações entre os dois países vizinhos.

  • 22/01/2019 09:14:56

    Novo tratado de Aix-en-Chapelle gera onda de notícias falsas em França

    Paris - O tratado que a França e a Alemanha assinam hoje na cidade alemã de Aachen, junto à fronteira dos dois países, está a gerar uma onda de notícias falsas no lado francês.