Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

10 Setembro de 2018 | 12h54 - Actualizado em 10 Setembro de 2018 | 12h54

Damasco lança mísseis e barris explosivos perto de escola, diz ONG

Beirute - As tropas sírias lançaram nesta segunda-feira dezenas de mísseis e barris explosivos contra as províncias de Idlib e Hama, no noroeste do país, que caíram nos arredores de uma escola e deixou seis feridos, entre eles um aluno, informou à Agência Efe uma ONG.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O Exército sírio atacou hoje uma região nos arredores de uma escola que fica na população de Yaryanaz, no sul de Idlib, o que deixou seis civis feridos, entre eles um estudante do centro, apontou o director do Observatório Sírio de Direitos Humanos, Rami Abdul Rahman.

Domingo, duas crianças morreram e outros seis civis ficaram feridos em Hbit, segundo informou a Defesa Civil Síria, que opera em zonas fora do controle do Governo de Damasco.

Segundo o Observatório, cuja sede está no Reino Unido, mas que conta com uma ampla rede de colaboradores no terreno, as tropas sírias, que contam com o apoio de Rússia, lançaram até 20 barris explosivos contra vários pontos nos povoados de Abdin, Hbit, Al Tah, Hish e Al Tamanah, no sul de Idlib.

Além disso, atacaram as populações de Kafr Zita, Al-Lataminah e Al-Bayda, no norte da província central de Hama.

Idlib é o último reduto opositor da Síria e se prepara para uma iminente ofensiva por parte do regime de Damasco e seus aliados para acabar com os "terroristas", em alusão aos membros do Organismo de Libertação do Levante, a ex-filial síria da Al Qaeda e presente em algumas zonas da região.

No norte da Hama e da província de Latakia, assim como no oeste de Aleppo, há presentes facções opositoras ao regime.

Síria e Rússia intensificaram os bombardeios contra as citadas províncias nos últimos dias e após uma cúpula de sexta-feira em Teerão na qual Turquia, Rússia e Irão não chegaram a um acordo sobre o futuro de Idlib, onde vivem cerca de três milhões de pessoas.

Assuntos Conflito  

Leia também
  • 10/09/2018 10:01:34

    Combates no Iémen fazem 84 mortos após fracasso de negociações

    Sanaa - Onze combatentes das forças pró-governamentais e 73 rebeldes Huthis foram mortos no Iémen em novos combates nas imediações de Hodeida, após o fracasso de negociações que estavam previstas em Genebra, indicaram hoje fontes médicas e hospitalares.

  • 10/09/2018 09:52:46

    Pelo menos meia centena de mortos em confrontos no Afeganistão

    Cabul - Vários confrontos das forças talibã no Afeganistão fizeram nas últimas horas pelo menos meia centena de mortos disseram hoje fontes oficiais à Associated Press.

  • 10/09/2018 09:02:44

    ONG denuncia campanha repressiva de Pequim contra minoria muçulmana

    Pequim - A organização não-governamental (ONG) Human Rights Watch denunciou hoje (10), em Pequim, "a violação sistemática" dos direitos humanos da minoria étnica chinesa de origem muçulmana uigure, através de detenções arbitrárias, tortura ou vigilância permanente, na região de Xinjiang.