Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

11 Setembro de 2018 | 04h29 - Actualizado em 11 Setembro de 2018 | 04h29

EUA ameaçam sanções a juízes do TPI se forem julgados por crimes de guerra

Washington - Os Estados Unidos ameaçaram segunda-feira impor sanções aos juízes do Tribunal Penal Internacional (TPI) se o organismo decidir dar seguimento ao processo que visa investigar os Estados Unidos por alegados crimes de guerra cometidos no Afeganistão.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Num ataque corrosivo, John Bolton, conselheiro para a Segurança Nacional de Donald Trump, disse que o TPI é “ineficaz, impossível de responsabilizar e, de facto, um total perigo”.

Bolton escolheu a Sociedade Federalista, um grupo conservador sediado em Washington DC, como palco para um dos seus mais importantes discursos desde que tomou posse.

Perante um público que aplaudiu quase todos os seus parágrafos, Bolton recolheu um salva de palmas particularmente estridente quando anunciou o fecho da sede da Autoridade Palestiniana em Washington. Os palestinianos querem utilizar precisamente o TPI para julgar Israel pelo que consideram ser “os crimes de guerra” cometidos “durante os anos da ocupação”.

Num comunicado emitido esta segunda-feira, o Departamento de Estado disse que a Autoridade Palestiniana “não tomou medidas para dar início a um diálogo significativo com vista às negociações com Israel”. Segundo o documento oficial, divulgado pelos meios de comunicação norte-americanos, a liderança palestiniana “tem sempre condenado o plano de paz desenhado pelos Estados Unidos apesar de nunca o ter visto e recusa-se a interagir de forma produtiva com os [nossos] esforços de paz”.


A Autoridade Palestiniana disse, em resposta, que este passo é mais no caminho de continuar a permitir que Israel “continue a atentar contra os palestinianos e suas terras”.
 

O organismo que representa a facção menos radical da Palestina - a mais radical está personificada no Hamas que controla Gaza e que não reconhece de todo o direito de Israel à existência - cortou os contactos com Washington depois de Donald Trump ter decidido mudar a localização da embaixada dos Estados Unidos de Telavive para Jerusalém.
 

Assuntos Conflito  

Leia também
  • 10/09/2018 19:05:06

    Cerca de 60 soldados e polícias mortos no norte do Afeganistão

    Mazar-e Sharif, Afeganistão - Os talibãs mataram quase 60 polícias e soldados numa série de ataques em quatro províncias do norte do Afeganistão, assinalaram nesta segunda-feira (10) funcionários de segurança deste país devastado por 38 anos de guerra.

  • 10/09/2018 12:54:04

    Damasco lança mísseis e barris explosivos perto de escola, diz ONG

    Beirute - As tropas sírias lançaram nesta segunda-feira dezenas de mísseis e barris explosivos contra as províncias de Idlib e Hama, no noroeste do país, que caíram nos arredores de uma escola e deixou seis feridos, entre eles um aluno, informou à Agência Efe uma ONG.

  • 10/09/2018 10:01:34

    Combates no Iémen fazem 84 mortos após fracasso de negociações

    Sanaa - Onze combatentes das forças pró-governamentais e 73 rebeldes Huthis foram mortos no Iémen em novos combates nas imediações de Hodeida, após o fracasso de negociações que estavam previstas em Genebra, indicaram hoje fontes médicas e hospitalares.