Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

12 Setembro de 2018 | 00h05 - Actualizado em 12 Setembro de 2018 | 00h04

Israel: Al-Qaida incentiva combate aos EUA

Telavive - O líder da Al-Qaida, Al-Zawahry, assinalou terça-feira o 17º aniversário dos ataques de 11 de Setembro com um apelo aos muçulmanos para intensificarem a guerra contra os Estados Unidos da América em todo o mundo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Num discurso de 30 minutos, argumentou que os Estados Unidos são inimigos religiosos dos muçulmanos, utilizando a transferência da embaixada de Washington de Telavive para Jerusalém como uma prova dessa inimizade.

"A América é o inimigo número um dos muçulmanos (...) apesar do seu professado secularismo", disse Al-Zawahry no vídeo.

O líder da Al-Qaida emitiu ainda 14 directivas para combater os Estados Unidos, incluindo um apelo à unidade dos muçulmanos e o reforço das fileiras “jihadistas”.

Assuntos Internacional   Terrorismo  

Leia também
  • 11/09/2018 23:57:19

    Siria: Forças sírias mortos pelo Estado Islâmico

    Damasco - O auto-proclamado Estado islâmico (EI) matou 21 membros das forças do regime no sul da Síria, numa altura em que a organização extremista enfrenta uma ofensiva da aliança arabé-curda contra o seu último bastião no país.

  • 09/09/2018 06:23:35

    EUA: Governo dos EUA reuniu-se com militares rebeldes venezuelanos

    Nova Iorque - O governo dos Estados Unidos realizou várias reuniões secretas com militares rebeldes da Venezuela, informou neste sábado o jornal "The New York Times", que cita funcionários americanos e a um ex-comandante militar venezuelano.

  • 09/09/2018 03:39:08

    líbano: Intensos bombardeamentos russos na província síria de Idlib

    Beirute - A Rússia efectuou, neste sábado os bombardeamentos mais "intensos" sobre a província síria de Idlib, último bastião rebelde no país , desde que o governo local prometeu efectuar um assalto para recuperá-la, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).