Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

10 Setembro de 2018 | 17h37 - Actualizado em 10 Setembro de 2018 | 17h36

Mais de 100 presos fogem da cadeia de segurança máxima no Brasil

Rio de Janeiro - Mais de 100 presos fugiram, na madrugada de hoje, da cadeia de segurança máxima Romeu Gonçalves Abrantes, no Estado brasileiro de Paraíba, sendo que 33 dos fugitivos já foram recapturados, divulgou a administração da prisão.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bandeira do Brasil

Foto: Divulgacao

A fuga aconteceu depois de vários homens armados com metralhadoras e explosivos se terem dirigido à instituição presidiária e terem destruído o portão de acesso à mesma. A operação para recapturar os prisioneiros ainda está a decorrer, segundo uma nota oficial divulgada pela Secretaria de Segurança e da Defesa Social.

De acordo com relatos de moradores, ouviram-se disparos e uma explosão pouco depois da meia-noite, hora local (04:00 em Lisboa). Houve ainda troca de tiros entre os detidos, polícia militar militares e agentes prisionais.

O secretário de Estado da Administração Penitenciária, Sérgio Fonseca de Souza, afirmou que um inquérito já foi instaurado para apurar o caso.

Ainda de acordo com Sérgio Souza, esta prisão tem capacidade para 660 presos e actualmente albergava cerca de 680.

A imprensa brasileira recorda que em Junho deste ano foi descoberto um esquema no qual os chefes do Primeiro Comando da Capital (PPC), a maior organização criminosa do Brasil com cerca de 20 mil membros, planeavam um resgate de dentro de uma prisão de segurança máxima no interior de São Paulo.

O plano previa o uso de um camião blindado para derrubar o muro da unidade e libertar seis integrantes da organização criminosa.

Estima-se que seis mil membros do PCC estejam na prisão.

Assuntos Justiça  

Leia também