Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

12 Setembro de 2018 | 11h01 - Actualizado em 12 Setembro de 2018 | 16h32

Putin pede "garantias" de segurança para Coreia do Norte em troca da desnuclearização

Vladivostok, Rússia - O presidente russo Vladimir Putin pediu hoje, quarta-feira, "garantias" de segurança internacionais para a Coreia do Norte em troca da desnuclearização que este país prometeu durante uma reunião da cimeira entre Donald Trump e Kim Jong Un, informou a AFP .

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O presidente russo Vladimir Putin (Foto arquivo)

Foto: MARTIN BUREAU

"A Coreia do Norte recebeu a promessa de garantias de segurança em troca de uma desnuclearização", disse Putin durante um Fórum Económico em Vladivostok (Extremo Oriente).

"Mas me parece contraproducente que se peça a Coreia do Norte que faça tudo e não receba nada em troca", afirmou, antes de propor a Pyongyang "garantias internacionais", sobretudos das potências nucleares.

O dirigente norte-coreano Kim Jong Un se comprometeu com uma "desnuclearização completa" da península coreana em troca de "garantias de segurança", durante uma reunião histórica em 12 de Junho em Singapura com o presidente americano Donald Trump.

Desde então, as negociações sobre as modalidades e o calendário estão bloqueadas.

"A Coreia do Norte adoptou medidas para uma desnuclearização (...), mas parece que em troca espera sinais", disse Putin.

"Se a Coreia do Norte está satisfeita apenas com garantias americanas, estamos satisfeitos. Mas parece que garantias internacionais seriam apropriadas", completou.

Putin fez as declarações uma semana antes de uma nova reunião de cúpula entre as Coreias, prevista para acontecer entre 18 e 20 de Setembro em Pyongyang.

"Independente das dificuldades que nos aguardam no caminho, não renunciará à paz. Sul e Norte não devem voltar ao passado", afirmou o primeiro-ministro sul-coreano Lee Nak-yeon durante o fórum.

Assuntos Diplomacia  

Leia também
  • 05/02/2019 14:53:35

    Rússia quer desenvolver novo míssil antes de 2021

    Moscovo - A Rússia planeia desenvolver até 2021 uma versão terrestre dos mísseis usados até agora pela Marinha russa, após Washington e Moscovo suspenderem a sua participação no tratado de armas nucleares de alcance intermediário, anunciou hoje o ministro da Defesa, Sergei Shoigu.

  • 05/02/2019 13:42:04

    Grupo de Lima compromete-se em não considerar opção militar na Venezuela

    Ottawa - O Grupo de Lima, com a ausência do México, que se desvinculou da iniciativa após a chegada ao poder do presidente Andrés Manuel López Obrador, disse que vai reiterar o seu apoio a um processo de transição pacífica através de meios políticos e diplomáticos sem o uso da força.

  • 05/02/2019 13:13:31

    Merkel quer que empresas chinesas não partilhem informações com Estado

    Tóquio - A chanceler alemã, Angela Merkel, pediu hoje a Pequim algumas salvaguardas para garantir que as empresas chinesas não partilhem informações com o Governo Central, numa altura de grande desconfiança ocidental em relação aos comportamentos da gigante Huawei, noticiou a Lusa.

  • 04/02/2019 19:24:46

    França: Diplomacia francesa diz que foi alcançado compromisso à africana na RDC

    Paris - O ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Jean-Yves Le Drian, disse hoje que nas eleições na República Democrática do Congo (RDC) foi alcançado ?um compromisso à africana?, depois de anteriormente ter manifestado dúvidas sobre a vitória de Felix Tshisekedi.