Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

20 Setembro de 2018 | 19h33 - Actualizado em 20 Setembro de 2018 | 19h32

Rússia quer promover na ONU mais sanções contra o EI no Afeganistão

Moscovo - O governo da Rússia quer que sejam utilizados de maneira "mais activa" os mecanismos de sanções da ONU contra o braço do Estado Islâmico (EI) no Afeganistão, devido à expansão "crescente" da organização terrorista no país centro-asiático.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bandeira da Rússia

Foto: Angop-Pesquisa

"Levando em conta a expansão crescente do EI no Afeganistão e a criação de focos de tensão, também nas imediações das fronteiras dos parceiros centro-asiáticos da Rússia, pretendemos envolver mais activamente os mecanismos de sanções contra o terrorismo do Conselho de Segurança da ONU", disse hoje a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Maria Zakharova.

Acrescentou que o governo russo está a reunir "provas" para solicitar ao Comité de Sanções da ONU medidas restritivas contra pessoas e organizações que fazem parte do braço afegão do EI ou estão directamente associadas com os terroristas.

"Pedimos a todos os Estados-membros da ONU que se juntem a este processo mais activamente e que mostrem as suas investigações ao Comité de Sanções", disse Zakharova.

Anatoly Sidirov, principal responsável do comando conjunto da Organização do Tratado de Segurança Colectiva (OTSC), aliança militar pós-soviética liderada pela Rússia, disse hoje que mais de 2,5 mil membros do EI recuaram neste ano da Síria para a fronteira entre Afeganistão e Paquistão.

"O principal perigo é que os terroristas vejam no Afeganistão uma base promissora para expandir a sua influência na Ásia central e do sul como parte do seu projecto do Grande Califado", disse o comandante da OTSC, que agrupa Rússia, Armênia, Bielorrússia, Cazaquistão, Quirguistão e Tadjiquistão.

"A situação na área de segurança colectiva da Ásia central é bastante tensa e gera as maiores preocupações", destacou Sidorov, acrescentando que a principal ameaça vem do EI.
 

Assuntos Política  

Leia também
  • 07/02/2019 12:44:56

    Partido Trabalhista vai apoiar May se negociar união aduaneira com UE

    Londres - O líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, principal força da oposição britânica, ofereceu à primeira-ministra, Theresa May, o apoio a um acordo de saída do Reino Unido da União Europeia se o país negociar uma união aduaneira com a UE.

  • 07/02/2019 10:12:53

    Irão tenta lançamento de um novo satélite

    Teerão - O Irão vai tentar o lançamento de um satélite, o segundo desde o início do ano, indicam imagens de satélite, divulgadas pela empresa DigitalGlobe.

  • 06/02/2019 19:21:27

    UE aumenta tensão sobre Brexit na véspera de receber May

    Bruxelas - O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, atacou duramente nesta quarta-feira os defensores do Brexit, aumentando a pressão sobre o futuro incerto do acordo de divórcio, um dia antes da visita agendada da primeira-ministra britânica Theresa May.

  • 06/02/2019 17:04:50

    Guterres expressa apoio à reunião para saída política na Venezuela

    Nações Unidas - O secretário-geral da ONU, António Guterres, expressou nesta terça-feira o seu apoio à reunião sobre a Venezuela prevista para esta quinta-feira em Montevidéu e assegura que está a favor das tentativas para buscar uma saída negociada à crise, noticiou a EFE.