Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

10 Outubro de 2018 | 15h52 - Actualizado em 10 Outubro de 2018 | 15h52

Desastres naturais fazem disparar as perdas económicas, alerta a ONU

Genebra - As perdas económicas directas devido a catástrofes climáticas nos últimos 20 anos foram 2,5 vezes maiores do que no período de 1978-1997, alertou a ONU num relatório divulgado nesta quarta-feira.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O Escritório das Nações Unidas para Redução do Risco de Desastres (UNISDR) explica que as mudanças climáticas "aumentam a frequência e a gravidade de eventos climáticos extremos" e, portanto, as perdas económicas causadas por essas catástrofes, retardam o desenvolvimento de países, particularmente os mais pobres.

Segundo os especialistas, os prejuízos económicos causados pelas catástrofes totalizaram 2,9 triliões de dólares entre 1998 e 2017, dos quais 2,24 triliões de dólares ligados (77% do total) a desastres relacionados ao clima.

No período 1978-1997, esses números foram de 1,31 trilião de dólares, dos quais 895 mil milhões de dólares devido a catástrofes climáticas.

Os desastres relacionadas ao clima representam 91 por cento dos 7.200 principais fenómenos registados nos últimos 20 anos. Inundações e tempestades são os mais comuns.

As principais perdas foram registadas nos Estados Unidos, no valor total de 944,800 mil milhões de dólares, seguidos pela China (492,2 mil milhões), Japão (376,3), Índia (79,5) e Porto Rico (71,7).

Nos últimos 20 anos, 1,3 milhão de pessoas perderam a vida devido a desastres naturais, segundo a ONU.

Pelo menos 4,4 mil milhões pessoas ficaram feridas e sem casas, foram forçadas a mudar de residências ou precisaram de ajuda urgente devido a esses problemas naturais, de acordo com a fonte.

Assuntos Alerta  

Leia também