Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

17 Janeiro de 2019 | 09h08 - Actualizado em 17 Janeiro de 2019 | 09h51

May pede à oposição que se concentre no "interesse nacional"

Londres - A primeira-ministra britânica, a conservadora Theresa May, pediu quarta-feira às forças políticas da oposição do Reino Unido que se concentrem no "interesse nacional" do país para alcançar "um consenso" quanto aos próximos passos a dar para o 'Brexit'.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

"O Governo ganhou a confiança do Parlamento (ao vencer a moção de censura apresentada pelo Partido Trabalhista) (...). É agora chegado o momento de pôr os interesses individuais de lado", disse a chefe do executivo britânico, numa declaração proferida em frente à sua residência oficial, o n.º 10 de Downing Street.

Após a esmagadora rejeição pela Câmara dos Comuns, na terça-feira, do acordo de divórcio negociado com Bruxelas, May indicou que já se reuniu  com representantes do Partido Nacionalista Escocês (SNP), do Partido Liberal-Democrata e do partido galês Plaid Cymru para encontrar uma forma de concretizar o 'Brexit', cumprindo o mandato que considera ter sido confiado ao seu Governo pelos eleitores que se pronunciaram pela saída do Reino Unido da União Europeia no referendo de 2016.

Theresa May lamentou, contudo, que Jeremy Corbyn, o dirigente do maior partido da oposição, o Partido Trabalhista, tenha decidido não se reunir com ela.

"Estou desiludida por o líder trabalhista ter escolhido não se juntar a nós por agora", disse a governante, acrescentando, contudo, que "a porta continua aberta".

Um porta-voz trabalhista informara pouco antes que Corbyn rejeita "um diálogo significativo" com May enquanto persistir - por ela não a ter descartado - a ameaça de um 'Brexit' sem acordo, ou seja, uma saída não-negociada da UE.

A chefe do executivo britânico indicou que tenciona continuar nesta quinta-feira os contactos com outros partidos para tentar avançar na direcção de um acordo sobre o 'Brexit' que possa obter o apoio maioritário da Câmara dos Comuns quando submetido a votação.

"Devemos trabalhar todos juntos, de forma construtiva, para determinar o que quer o Parlamento. Por isso, convido todos os membros do Parlamento para que procuremos uma forma de avançar", disse a primeira-ministra hoje à noite.

May venceu na quarta-feira por uma margem de 19 votos uma moção de censura apresentada pelos trabalhistas e tem até segunda-feira para regressar à câmara baixa do Parlamento com um "plano B", uma proposta de 'Brexit' alternativa, depois de na terça-feira os deputados terem chumbado por uma margem de 230 votos o acordo alcançado pelo seu Governo, após 17 meses de negociações com Bruxelas, para a saída britânica da UE, agendada para 29 de Março.

Assuntos Reunião  

Leia também