Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

06 Novembro de 2019 | 12h21 - Actualizado em 06 Novembro de 2019 | 12h21

Detido suspeito de envolvimento em ataque que matou nove pessoas no México

Cidade de México - Um suspeito foi detido por alegado envolvimento na morte de três mulheres e seis crianças com dupla cidadania mexicana e norte-americana em Sonora, no México, anunciaram as autoridades mexicanas.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Num comunicado divulgado na rede social Facebook, a Agência de Investigação Criminal do estado mexicano de Sonora divulgou, na terça-feira, que o suspeito foi encontrado na cidade de Agua Prieta, na fronteira com o estado norte-americano do Arizona, com dois reféns que foram amordaçados e amarrados dentro de um veículo.

O suspeito, cujo sexo não foi especificado no comunicado, também tinha consigo quatro espingardas de assalto e munições, além de estar na posse de vários veículos grandes, incluindo um à prova de balas.

Três mulheres e seis crianças foram mortas, na segunda-feira, por elementos de um cartel no norte do México, havendo ainda oito crianças que sobreviveram ao ataque, todas com dupla cidadania mexicana e norte-americana, disseram as autoridades mexicanas.

As vítimas viajavam numa caravana de três automóveis entre Galeana e Sonora, no México, perto da fronteira com os EUA, quando foram atacadas por um grupo armado, suspeito de ligações a cartéis de droga, que disparou indiscriminadamente sobre os passageiros.

O ministro mexicano da Segurança e Protecção do Cidadão, Alfonso Durazo, explicou que o ataque ocorreu na segunda-feira, a meio do dia, e admitiu a possibilidade de as vítimas terem sido confundidas com um gangue rival de cartéis de droga, devido ao tipo de carros (SUV de cor preta) em que se deslocavam.

Familiares das vítimas disseram que as mulheres e crianças pertenciam a uma comunidade religiosa de La Mora, no norte do México, ligada a uma ramificação da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (conhecida como igreja Mórmon).

Um dos familiares disse que encontrou uma viatura ardida e carregada de balas, contendo os restos mortais da mulher, do sobrinho e dos quatro filhos menores, com idades entre os seis meses e os 10 anos.

O Departamento Federal de Segurança e Protecção ao Cidadão, do México, disse que as forças policiais foram reforçadas com as tropas da Guarda Nacional, na área do ataque, para proceder às averiguações e às perseguições aos criminosos.

Os principais suspeitos do ataque pertencem a um cartel do Pacífico que tem uma presença muito relevante naquela região do México, especialmente junto à cidade de Sonora, mas as autoridades admitem que possam estar envolvidos membros de outros cartéis com base em Chihuahua.

O Presidente do México, Andrés Manuel Lopez Obrador, prometeu que serão obtidas todas as respostas neste caso que classificou de “infeliz infortúnio”.

O Presidente dos EUA, Donald Trump, usou a sua conta pessoal na rede social Twitter para lamentar a tragédia, referindo-se ao ataque como uma disputa entre cartéis de droga que provocou a “morte de muitos norte-americanos excelentes”.

Trump ofereceu ainda ajuda a Obrador para combater os cartéis da droga no seu país: “Este é o momento para o México, com a ajuda dos Estados Unidos, declarar GUERRA aos cartéis da droga e apagá-los da face da Terra”.

Assuntos Ataque  

Leia também