Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

02 Dezembro de 2019 | 12h01 - Actualizado em 02 Dezembro de 2019 | 12h16

Casa Branca recusa-se a participar de audiência de julgamento de Trump

Washington - A Casa Branca anunciou domingo que não vai participar da primeira audiência pública para a qual foi convidada pela Câmara dos Deputados para um julgamento de impeachment do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, uma decisão que ressalta a sua disposição de deslegitimar o inquérito, soube a EFE, em Washington.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Vista frontal do Edifício da Casa Branca

Foto: Divulgação

O presidente do Comité Judiciário da Câmara, o democrata Jerrold Nadler, havia convidado os advogados de Trump para participar da primeira audiência pública, a ser realizada pelo painel que ele lidera, marcada para a próxima quarta-feira.

"Sob as circunstâncias actuais, nós não participamos da sua audiência na quarta-feira", disse o advogado da Casa Branca Pat Cipollone  numa carta enviada a Nadler.

Cipollone não descartou que a Casa Branca ou Trump poderia enviar advogados para futuras audiências no Comité Judicial e afirmou uma resposta será dada antes da próxima sexta-feira, prazo estabelecido pelo presidente do Comité Judiciário da Câmara.

Os juristas devem aparecer na audiência de quarta para discutir os precedentes constitucionais dos julgamentos políticos.

Na sua carta, Cipollone insinuou que a Casa Branca a considera uma sessão de menor importância. "Não inclui testemunha alguma relacionada aos factos", criticou.

"Existem inúmeras deficiências no processo, que infectaram a investigação. Uma discussão académica com professores de direito não proporciona ao presidente um julgamento justo", completou o advogado.

A decisão ilustra a determinação do governo de boicotar um processo que tentou deslegitimar desde o começo, em Setembro, uma dinâmica que teve seu maior expoente no bloqueio de Trump a várias testemunha.

Assuntos Julgamento  

Leia também
  • 29/11/2019 10:40:07

    Líderes timorenses podem ser testemunhas em julgamento na Austrália

    Díli - Os líderes timorenses Xanana Gusmão e José Ramos-Horta podem ser ouvidos como testemunhas em audições preliminares no processo do Governo australiano contra um advogado, cujo cliente denunciou escutas ilegais de Camberra a Timor-Leste, noticiou a Lusa.

  • 05/10/2019 00:30:58

    Trump reconhece que democratas possuem votos para abrir julgamento político

    Washington - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu nesta sexta-feira que os congressistas do Partido Democrata, da oposição, possuem votos suficientes para prosseguir com a abertura de um julgamento político contra ele na Câmara dos Representantes, mas ressaltou que o Senado, de maioria republicana, o absolverá.

  • 15/06/2019 02:24:24

    Julgamento sobre extradição de Assange fica para 2020

    Londres - A Corte de Magistrados de Westminster, em Londres, fixou para 25 de Fevereiro de 2020 o início do julgamento que decidirá sobre a extradição do fundador do WikiLeaks, Julian Assange, para os Estados Unidos, noticiou à Ansa.