Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

03 Dezembro de 2019 | 13h25 - Actualizado em 03 Dezembro de 2019 | 13h25

França considera "inaceitável" ameaça de sanções comerciais dos EUA

Paris - O ministro francês das Finanças, Bruno Le Maire, considerou "inaceitável" a ameaça norte-americana de eventuais sanções contra a taxa francesa sobre produtos digitais e alerta para possíveis reacções da União Europeia, anunciou a Lusa.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

"A ideia sobre medidas que podem vir a ser aplicadas daqui a 30 dias - novas sanções contra a França - é inaceitável", disse Le Maire à estação Radio Classique.

"Este não é o comportamento que esperamos dos Estados Unidos, sendo um dos principais aliados da França, e da Europa", acrescentou o ministro das Finanças do governo de Paris.

Washington ameaçou aplicar taxas alfandegárias adicionais que podem atingir os 100%, afectando os produtos franceses num valor que pode atingir os 2,4 mil milhões de dólares.

As sanções podem ser aplicadas sobre produtos típicos franceses como vinhos, queijos ou outros produtos manufacturados como carteiras de senhora.

O ministro acrescentou que as autoridades francesas contactaram na segunda-feira a nova Comissão Europeia no sentido de preparar uma reacção de Bruxelas face às ameaças da administração norte-americana.

"Temos de garantir que se foram aplicadas as novas sanções americanas pode haver uma resposta europeia. Uma reacção forte", afirmou Bruno Le Maire.

Anteriormente o ministro das Finanças disse que é preciso evitar a lógica de sanções e de reacções entre os Estados Unidos e a Europa sublinhando que "não interessam a ninguém" e não protegem os interesses do comércio, da confiança e da estabilidade política.

O ministro voltou a referir-se ao possível acordo mundial para a fiscalização dos produtos digitais que está a ser negociado sob a égide da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) mas referiu que suspeitou da falta de interesse dos Estados Unidos nas negociações em curso.

"Os norte-americanos aceitam ou não aceitam a proposta de taxas internacionais sobre actividades digitais que estão a ser discutidas no quadro da OCDE", interrogou Le Maire.

"Se eles disserem que sim não há dificuldades e todos os problemas ficam resolvidos", disse, acrescentando que se disserem que não "significa que os Estados Unidos não respeitam o compromisso estabelecido no final de Agosto entre o presidente norte-americano e a França sobre a procura de uma solução internacional".

Assuntos Diplomacia  

Leia também
  • 02/12/2019 14:17:44

    Trump volta impor tarifas sobre aço e alumínio de Brasil e Argentina

    Washington - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse hoje, segunda-feira, que Brasil e Argentina estão a desvalorizar as próprias moedas e que, por isso, anunciou que voltará a impor tarifas sobre aço e alumínio provenientes dos dois países da América do Sul.

  • 02/12/2019 11:37:17

    Irão diz que está a "reconsiderar seriamente" compromissos com AIEA

    Teerão - O Irão disse domingo estar a "reconsiderar seriamente" os seus compromissos para com a Agência Internacional de Energia Atómica, na sequência da ameaça dos europeus de activar um mecanismo do acordo de 2015 para restabelecer sanções, noticiou a Lusa.

  • 02/12/2019 11:31:35

    Grécia vai pedir apoio à Otan na sua disputa com a Turquia

    Atenas - O primeiro-ministro grego disse domingo que vai solicitar a outros membros da Otan, durante a cimeira de Londres, que apoiem a Grécia a enfrentar a Turquia, que também integra a organização aliada, nas tentativas interferir na soberania do país, noticiou a Lusa.