Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

15 Março de 2019 | 13h35 - Actualizado em 15 Março de 2019 | 13h35

Trump condena "horrível massacre" em mesquitas da Nova Zelândia

Washington - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, condenou como um "horrível massacre" os em duas mesquitas da Nova Zelândia nesta sexta-feira, que deixaram pelo menos 49 mortos.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

"Minhas mais sinceras condolência e meus melhores desejos ao povo da Nova Zelândia após o horrível massacre nas mesquitas mesquitas. 49 inocentes morreram de modo tão sem sentido, com muitos mais gravemente feridos. Estados Unidos apoiam a Nova Zelândia em tudo que pudermos fazer", tuitou Trump.

A porta-voz da presidência americana, Sarah Sanders, também condenou o "impiedoso acto de ódio" na cidade de Christchurch.

Assuntos Atentados  

Leia também
  • 15/03/2019 12:42:11

    Polícia evacua áreas próximas a ataques a mesquitas na Nova Zelândia

    Christchurch, Nova Zelândia - Após a tragédia em Christchurch, a polícia da Nova Zelândia retirou os moradores de uma propriedade perto da cidade de Dunedin, suspeitos de terem ligação com os ataques às duas mesquitas - informaram as autoridades.

  • 15/03/2019 08:44:25

    Polícia prende quatro suspeitos de atentados na Nova Zelândia

    Christchurch, Nova Zelândia - A polícia da Nova Zelândia informou nesta sexta-feira que quatro pessoas foram detidas por suspeita de participação nos ataques contra duas mesquitas da cidade de Christchurch, que deixaram "vários mortos".

  • 07/03/2019 13:09:35

    Explosão perto de evento político em Cabul

    Cabul - Uma explosão foi registada nesta quinta-feira perto de um evento político na zona Oeste de Cabul, o que provocou a interrupção do acto e a fuga dos participantes, segundo noticiou a AFP.