Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

22 Maio de 2019 | 17h52 - Actualizado em 22 Maio de 2019 | 17h52

Presidente chinês alerta para dificuldades criadas pela guerra comercial com EUA

Pequim - O Presidente da China, Xi Jinping, alertou nesta quarta-feira o povo chinês para os "riscos e desafios" da "situação difícil" criada pela guerra comercial com os EUA, de acordo com declarações divulgadas pela agência estatal Xinhua.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Presidente da China, Xi Jinping

Foto: Ntswe Mokoena

"O nosso país encontra-se numa fase de procurar oportunidades estratégicas para o desenvolvimento, mas a situação internacional está cada vez mais difícil", disse o Presidente chinês, durante uma visita à província de Jiangxi, no sul do país.

Xi dirigiu-se aos cidadãos para os alertar para o contexto "complexo e desfavorável" que enfrenta a economia do país, incentivando-os a estar preparados para "superar riscos e desafios".

As declarações de Xi ocorrem no momento em que a guerra comercial entre a China e os EUA continua numa escalada, sobretudo depois de o Presidente norte-americano, Donald Trump, ter declarado sanções à empresa de tecnologia chinesa Huawei, considerando que a sua tecnologia de comunicações 5G coloca riscos de espionagem.

Empresas como a Google anunciaram esta semana que vão deixar de facilitar e permitir que a Huawei use o seu sistema operativo, Android, com o qual operam os telemóveis da empresa chinesa.

A Huawei terá agora três meses para a fase de transição facilitada pelo governo norte-americano, antes de ficar exposta às sanções anunciadas por Donald Trump.

Outras empresas norte-americanas de processadores informáticos como a Intel, Qualcomm, Xilinx e Broadcom, a empresa alemã Infineon Technologies e fabricantes de 'chips' como a US Micron Technology e Western Digital vão também deixar de fornecer a Huawei, cumprindo as instruções de Trump, o que pode atrasar os planos de adopção da rede 5G em todo o mundo.

A directora financeira e filha do fundador da Huawei, Meng Wanzhou, também encontra-se em liberdade condicional sob fiança no Canadá, após ter sido detida naquele país a pedido dos EUA, que acusou a empresa chinesa de violar as sanções impostas ao Irão.

O fundador e CEO da Huawei, Ren Zhengfei, tentou minimizar as sanções dos Estados Unidos, dizendo que a sua empresa está vários anos à frente dos seus concorrentes, na tecnologia 5G.

Assuntos Alerta  

Leia também
  • 21/05/2019 13:56:46

    UE em estado de alerta contra "fakes news" antes das eleições europeias

    Bruxelas - As autoridades europeias temem que as "fake news" conturbem a campanha das eleições para o Parlamento europeu, como ocorreu no referendo do Brexit e na vitória de Donald Trump nos Estados Unidos, em acções que acreditam terem sido articuladas pela Rússia, noticiou à AFP.

  • 15/05/2019 16:32:41

    EUA ordenam saída de alguns funcionários da sua embaixada no Iraque

    Washington - Os Estados Unidos ordenaram hoje a evacuação dos funcionários não essenciais da sua embaixada e de um consulado no Iraque, em plena tensão com o Irão.

  • 15/05/2019 15:10:27

    Wikipedia é bloqueada em todos os idiomas na China

    Pequim - A enciclopédia digital Wikipédia, que já estava bloqueada em mandarim, está desde hoje inacessível na China continental em todas os idiomas, com a aproximação de datas sensíveis como o 30º aniversário da repressão da Praça da Paz Celestial.