Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

28 Junho de 2019 | 13h43 - Actualizado em 28 Junho de 2019 | 13h43

EUA defende novas soluções diplomáticas para Síria

Nações Unidas, Estados Unidos - Os Estados Unidos defenderam na quinta-feira novas iniciativas diplomáticas para a paz na Síria, após quase um ano e meio de esforços para formar um comité constitucional, noticiou a AFP.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

A campanha da ONU para estabelecer um comité encarregado de redigir a Constituição síria do pós-guerra não avançou devido a divergências com o governo do presidente Bashar Al Assad sobre a composição do órgão.

O plano previa a participação de representantes da oposição e da sociedade civil nas negociações.

O embaixador dos Estados Unidos Jonathan Cohen disse ao Conselho de Segurança que a formação do comité constitucional parece "fora de alcance".

"Chegou o momento de o Conselho orientar o enviado especial Pedersen a tentar outros caminhos visando uma solução política", declarou Cohen.

O enviado da ONU para a Síria, Geir Pedersen, havia comunicado ao Conselho sua esperança de encaminhar os detalhes para a formação do comité num futuro próximo.

A formação do comité foi acertada numa conferência na Rússia em Janeiro de 2018.

Os Estados Unidos avaliam que Pedersen deveria se concentrar na realização de eleições nacionais na Síria, com a participação dos refugiados, na libertação dos presos e no estabelecimento de um cessar-fogo em todo o país.

O embaixador da Rússia, Vladimir Safronkov, disse que Moscovo esperava um "grande progresso" na criação do comité, após as recentes conversações entre funcionários russos e sírios.

Apoiada por Rússia e Irão, as forças de Al Assad recuperaram o controlo da maior parte do território nacional e agora concentram seus esforços na região de Idlib, no noroeste.

A guerra civil na Síria, já em seu nono ano, deixou mais de 370 mil mortos e milhões de deslocados.

Assuntos Diplomacia  

Leia também
  • 28/06/2019 13:33:09

    Tusk critica Putin por chamar liberalismo de "obsoleto"

    Osaka, Japão - O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, criticou nesta sexta-feira, durante a cimeira do G20 em Osaka, as declarações do presidente russo, Vladimir Putin, de que o liberalismo está "obsoleto" noticiou a AFP.

  • 28/06/2019 13:28:33

    Biden diz que Trump colocou EUA em "situação horrível"

    Miami - O presidente Donald Trump colocou os Estados Unidos numa "situação horrível", afirmou na quinta-feira o ex-vice-presidente Joe Biden, no início do debate entre pré-candidatos democratas em Miami para as eleições presidenciais de 2020, noticiou a AFP.

  • 28/06/2019 13:13:15

    Julio Borges afirma na OEA que Cuba invadiu a Venezuela e pede a libertação do país

    Medellín - O chefe da delegação da Venezuela na 49ª Assembleia Geral da OEA, o opositor Julio Borges, disse na quinta-feira, diante do organismo que o seu país é "invadido por Cuba" e possui um alto grau de intervenção nas Forças Armadas, noticiou a EFE.