Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

15 Julho de 2019 | 19h16 - Actualizado em 15 Julho de 2019 | 19h16

Israel "único" país no mundo capaz de enfrentar Irão, diz Netanyahu

Jerusalém - As Forças de Defesa de Israel (IDF) são as únicas forças militares no mundo capazes de enfrentar o Irão em caso de guerra, disse o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Benjamin Netanyahu, Primeiro Ministro de Israel

Foto: AFP

"No momento, o único Exército do mundo capaz de combater o Irão é o Exército israelita", afirmou Netanyahu, falando aos membros do Colégio de Segurança Nacional de Israel, na sua residência, no domingo (14), de acordo com o jornal Jerusalem Post.

O primeiro-ministro também lembrou o seu papel na luta contra o acordo nuclear iraniano de 2015, também conhecido como Plano Conjunto de Acção Integral (JCPOA), dizendo que o acordo teria dado ao Irão "centenas de biliões de dólares" para "investir no seu império" e "abrir caminho para um arsenal nuclear".

"Tive que lutar sozinho para bloquear o acordo nuclear […] Tive que lutar contra todas as potências e contra o presidente dos Estados Unidos - fui ao Congresso dos EUA", disse o primeiro-ministro de Israel.

De acordo com Netanyahu, a única coisa que o terrível acordo nuclear deu à Israel foi a forte e profunda aproximação com os principais países árabes, que o Irão também supostamente ameaçou com a aniquilação nuclear.

Netanyahu pressionou pessoalmente o presidente dos EUA, Donald Trump, para pôr fim ao JCPOA, fazendo uma apresentação na mídia em 2018 com base em informações que teriam sido obtidas pela inteligência israelita e sobre as supostas tentativas do Irão de esconder as suas actividades nucleares do mundo. Dias depois da apresentação, Trump anunciou que os EUA se retiravam do acordo.

Previamente, respondendo ao aviso de um deputado iraniano de que a "vida útil" de Israel seria reduzida se Washington atacasse Teerão, Benjamin Netanyahu observou que todo o Irão estava ao alcance dos aviões de guerra israelitas.

Após saber que Teerão logo ultrapassaria os níveis de enriquecimento de urânio estabelecidos pelo JCPOA, acrescentou que a única razão possível para tal acção era a criação de uma bomba nuclear.

O Irão negou ter qualquer intenção de tentar obter armas nucleares, dizendo "nunca aprova armas de destruição em massa", recordando que Israel tem sido o único Estado na região com um arsenal de armas nucleares real por muitas décadas.

As relações israelo-iranianas têm estado em crise durante décadas, com os altos responsáveis a ameaçarem-se repetidamente sobre o que aconteceria em caso de guerra.

Assuntos Guerra  

Leia também