Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

19 Julho de 2019 | 08h54 - Actualizado em 19 Julho de 2019 | 12h56

Trump anuncia nomeação de Eugene Scalia para secretário do Trabalho

Washington - O Presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou que vai nomear o advogado Eugene Scalia como novo secretário do Trabalho, após a renúncia de Alex Acosta, motivada pelo seu envolvimento no caso Jeffrey Epstein, acusado de tráfico sexual de menores, noticiou quinta-feira a Lusa.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Donald Trump, Presidente dos EUA (arquivo)

Foto: Google/Divulgação

"Tenho o prazer de anunciar que minha intenção é nomear Gene Scalia como o novo secretário do Trabalho. Gene teve uma vida de grande sucesso nos campos jurídico e laboral e é altamente respeitado", escreveu Donald Trump na sua conta na rede social Twitter.

"Ele será um grande membro de uma Administração que fez mais nos primeiros dois anos e meio do que qualquer Administração na História!", Acrescentou o presidente.

Scalia, 55 anos, é filho do ex-juiz do Supremo Tribunal, Antonin Scalia, e tem uma longa história como advogado de defesa de empresas como o Walmart, criticada pela sua política de baixos salários.

Por essa razão, espera-se que os maiores sindicatos do país e a oposição democrática questionem a eleição de Scalia nos próximos dias.

No entanto, uma vez que é o Senado dos EUA, de maioria republicana, o órgão legislativo responsável por aprovar as nomeações do Presidente, tudo indica que o seu nome de Scalia será confirmado em breve.

Scalia trabalhou na administração de George W. Bush (2001-2009) e actualmente é sócio sénior do escritório de advogados Gibson, Dunn & amp; Crutcher em Washington.

O anúncio da nomeação do Scalia acontece apenas uma semana depois de Acosta ter renunciado ao lugar depois de se ter tornado público que, enquanto procurador, há uma década, foi responsável por um controverso acordo legal com Epstein, agora acusado pela segunda vez de abuso sexual de menores.

O bilionário, preso no início do mês, já enfrentara acusações semelhantes na Florida, mas em 2008 chegou a um acordo com o Ministério Público, então liderado por Acosta, para encerrar uma investigação num caso em que arriscava a prisão perpétua.

O acordo, contudo, previa que o magnata de Nova Iorque cumprisse uma sentença de apenas 18 meses de prisão.

Acosta, o único latino no gabinete presidencial de Trump, assumiu o cargo de secretário do Trabalho em Abril de 2017.

Assuntos Governação  

Leia também
  • 19/07/2019 11:07:45

    Vice-presidente filipino e 35 opositores acusados de sedição

    Manila - A polícia das Filipinas acusou de sedição a vice-presidente do país, Leni Robredo, e 35 opositores do chefe de Estado, Rodrigo Duterte, incluindo senadores e bispos católicos, por supostamente tentarem desestabilizar o Governo, noticiou hoje a Lusa.

  • 19/07/2019 10:58:51

    Porta-voz "chefe" da actual Comissão Europeia será comissário da Grécia

    Atenas - O porta-voz da Comissão Europeia, Margaritis Schinas, foi quinta-feira nomeado pelo primeiro-ministro da Grécia, Kyriakos Mitsotakis, para ser o comissário europeu daquele país no próximo executivo comunitário, noticiou hoje a Lusa.

  • 19/07/2019 10:32:20

    Mari Alkatiri não continuará à frente da região de Oecusse

    Díli - O presidente da Região Administrativa Especial de Oecusse-Ambeno (RAEOA), Mari Alkatiri, informou quinta-feira o primeiro-ministro timorense da cessação definitiva de funções no final deste mês, descontente com a alteração à lei de criação da região, noticiou a Lusa.

  • 19/07/2019 10:16:02

    Militantes do Podemos apoiam estratégia para Governo de coligação

    Madrid - Uma maioria de 70 por cento de inscritos no Podemos deu quinta-feira o seu apoio à estratégia do líder deste partido de apoiar a formação do novo Governo socialista apenas se este tiver ministros da formação de extrema-esquerda, noticiou hoje a Lusa.