Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

23 Agosto de 2019 | 17h13 - Actualizado em 23 Agosto de 2019 | 18h10

Diplomata coreano qualifica Mike Pompeo de "toxina resistente"

Seul - O ministro das relações exteriores da Coreia do Norte disse hoje que o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, é uma "toxina resistente" que só complica as conversas de desnuclearização e que o seu país está pronto tanto para um diálogo quanto para um impasse.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O diplomata referia-se a comentários de Pompeo em entrevistas recentes à imprensa nas quais disse que as sanções contra os coreanos serão mantidas até o governo desse país adopte acções concretas para a desnuclearização.

"Ele é verdadeiramente imprudente o suficiente para pronunciar tais palavras impensadas, que só nos deixam decepcionados e cépticos quanto a podermos solucionar qualquer problema com um sujeito assim", disse Ri em comunicado publicado pela agência de notícias KCNA.

Igualmente, acusou Pompeo de lançar "sombras escuras" sobre as conversas e de estar mais interessado nas suas ambições políticas do que na política externa dos EUA.

"Se os EUA ainda nutrem o sonho impossível de ganhar tudo através de sanções, ficamos com duas opções, ou deixá-los desfrutar o sonho que os acalenta ou acordá-los do sonho", disse Ri.

"Estamos prontos tanto para o diálogo quanto para o impasse."

Por este facto, o diplomata norte-coreano, classificou o principal negociador norte-americano como a "toxina resistente da diplomacia dos EUA", que emprega uma "retórica de sanções banal".

Ri Yong Ho participou em Fevereiro deste ano nas conversações de Hanói, Vietname, ao lado de Mike Pompeo, na qual os seus respectivos líderes, Kim Jong-un e  Donald Trump, tentaram negociar acordos sobre a eliminação das armas nucleares dos coreanos.

Trump e Kim voltaram a reencontrarem-se na fronteira inter-coreana em Junho e concordaram em retomar as negociações, o que não aconteceu.

Desde a cúpula do Vietname, a Coreia do Norte exigiu que Pompeo seja substituído por uma pessoa "mais madura", ao mesmo tempo em que louvou o entendimento entre Kim e Donald Trump.

O enviado norte-americano Stephen Biegun, que lidera as negociações de trabalho com a Coreia do Norte, estava em Seul, Coreia do Sul, nesta semana para debater formas de retomar as negociações.

Espera-se que as conversas sejam reiniciadas em breve, disse na quinta-feira o vice-conselheiro de segurança nacional sul-coreano, Kim Hyun-chong, fazendo a avaliação optimista depois de encontrar-se com Biegun.

"Torcemos pelo progresso nas conversas de desnuclearização em termos de confiança e respeito mútuo entre os EUA e a Coreia do Norte, culminando em bons resultados", afirmou hoje o vice-porta-voz do Ministério da Unificação sul-coreano, Kim Eun-han, quando indagado sobre o comunicado de Ri.

Assuntos Diplomacia  

Leia também
  • 22/08/2019 11:01:57

    Merkel e Johnson consideram prematuro regresso da Rússia ao G7

    Berlim - A chanceler alemã, Angela Merkel, e o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disseram quarta-feira, em Berlim, ser prematuro considerar o regresso da Rússia ao G7, uma ideia avançada pelo Presidente norte-americano, Donald Trump, noticiou a Lusa.

  • 22/08/2019 10:17:53

    Angela Merkel acredita num acordo com Reino Unido em "30 dias"

    Berlim - A primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, afirmou quarta-feira que se pode chegar a um acordo para a saída do Reino Unido da União Europeia e ultrapassar o mecanismo de salvaguarda para a fronteira irlandesa.

  • 21/08/2019 16:36:55

    Trump volta a defender regresso da Rússia ao G8

    Washington - O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou hoje a defender o regresso da Rússia ao grupo das oito nações mais industrializadas (G8), que afastaram a Rússia em 2014, no seguimento da anexação da Crimeia.