Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

11 Setembro de 2019 | 17h52 - Actualizado em 11 Setembro de 2019 | 17h52

Abbas acabará com todos os acordos se Israel anexar Cisjordânia

Ramallah - O presidente palestiniano Mahmoud Abbas disse que todos os acordos assinados com Israel terminarão se o primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu cumprir a sua promessa de anexar o Vale do Jordão na Cisjordânia.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bandeiras da Palestina e de Israel

Foto: Divulgação

Abbas advertiu na terça-feira (10) que os acordos, sendo provavelmente os Acordos de Oslo, de estabelecimento de responsabilidades conjuntas de governação e segurança palestino-israelita na Cisjordânia, seriam anulados se Tel Aviv anexar qualquer um dos territórios palestinianos ocupados em 1967.

"Nós temos o direito de defender os nossos direitos e alcançar os nossos objectivos por todos os meios disponíveis, independentemente das consequências, como as decisões de Netanyahu contradizem com as resoluções das Nações Unidas e do direito internacional", advertiu o líder palestiniano.

A declaração de Netanyahu, na terça-feira, de "aplicar a soberania israelita" ao Vale do Jordão, descrita por ele como "nossa fronteira oriental, nosso muro de defesa", também foi condenada pela Arábia Saudita, que afirmou que as promessas do político israelita constituem uma "escalada muito perigosa contra os palestinianos" e que minam os esforços de paz.

A Liga Árabe manifestou que o plano de Netanyahu viola o direito internacional e as resoluções da ONU. No entanto, tanto Netanyahu como Abbas fizeram promessas semelhantes antes.

O Vale do Jordão corresponde a 60 porcento do território da Cisjordânia, e tem sido controlado plenamente por israelitas desde a assinatura dos Acordos de Oslo no início da década de 1990.

O primeiro-ministro de Israel luta actualmente contra uma dura campanha de reeleição, com israelitas indo às urnas no dia 17 de Setembro para decidir o seu futuro. Ele fez uma promessa semelhante para anexar a Cisjordânia em Abril.

Assuntos Conflito  

Leia também