Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

31 Outubro de 2019 | 01h02 - Actualizado em 31 Outubro de 2019 | 01h01

Autoridades mexicanas encontraram 42 crânios e um feto durante rusga

México - Quarenta e dois crânios de restos mortais encontrados quarta-feira durante uma rusga foram submetidos a testes de ADN para identificar as vítimas bem como apreendido 2,5 toneladas de marijuana, 20 armas, granadas e um lança rockets.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Durante a operação policial a um esconderijo de um grupo de narcotraficantes no bairro de Tepito, na Cidade do México, as autoridades encontraram os 42 crânios dispostos junto de um altar.

De acordo com o The Guardian, para além dos crânios também foram encontrados 40 ossos de maxilares, 30 ossos de braços e pernas e um feto dentro de um frasco.

A autarca Claudia Sheinbaum disse que os resultados serão comparados com uma lista de pessoas desaparecidas, tanto na capital mexicana como noutras partes do país.

Esta descoberta macabra não significa necessariamente que tenham sido cometidos homicídios. No México há diversas tradições relacionadas com os mortos.

Vai ser comemorada na próxima  sexta-feira uma das principais celebrações do país, o Dia dos Mortos, e há comunidades que habitualmente retiram os ossos dos túmulos dos seus familiares para limpá-los.

No decurso desta operação, a polícia deteve trinta e uma pessoas de um grupo de narcotraficantes locais, La Unión.

Mas numa decisão que está a gerar polémica no México, o juiz decidiu libertar vinte e sete das trinta e uma pessoas detidas. O juiz argumentou que as acusações contra os suspeitos tinham muitas irregularidades, incluindo um vídeo que prova que a maioria dos detidos estavam numa festa num local diferente de onde a polícia disse que os deteve.

Assuntos Crime  

Leia também