Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

14 Julho de 2020 | 02h16 - Actualizado em 13 Julho de 2020 | 20h51

Trump com influência negativa no estado global da liberdade de imprensa

Washington - O governo liderado pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, teve uma influência negativa no estado global da liberdade de imprensa, após anos de ataques a esta, disse hoje o relator da ONU para a liberdade de expressão.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

"Uma característica que sobressai nos últimos três, quatro anos, é a forma como este Presidente se tem dirigido aos media, denegrindo a imprensa e a liberdade de imprensa", destacou o relator especial das Nações Unidas para a liberdade de opinião e expressão, David Kaye, citado pela agência Efe.

O relator da ONU, que falava durante uma conferência de imprensa em Genebra, Suíça, explicou que o sistema político dos Estados Unidos provou, finalmente, que é "mais frágil do que se pensava" na hora de defender a liberdade de imprensa e de controlar os ataques presidenciais.

David Kaye acrescentou que esses ataques são a "habitual desinformação a partir da Casa Branca" e a limitação de acesso dos jornalistas ao espaço.

O relator norte-americano, que na sexta-feira apresentou diante do Conselho de Direitos Humanos, em Genebra, um relatório sobre a deterioração da liberdade de imprensa devido à pandemia de covid-19, disse hoje faltar saber se a presidência de Donald Trump mantém ou não esta tendência.

"Ainda não sabemos se se trata de um vazio, uma anomalia da actual Administração, mas queremos que acabe", sublinhou.

David Kaye manifestou também a sua preocupação pelo futuro da liberdade de imprensa e de informação em Hong Kong, após a entrada em vigor da lei de segurança nacional imposta pela China naquela ex-colónia britânica.

Na sexta-feira, o relator da ONU apresentou perante o Conselho dos Direitos Humanos a sua preocupação pelas restrições à informação que muitos governos impuseram durante a pandemia, que na sua opinião custaram muitas vidas.

"Morreram pessoas porque houve governos que mentiram, ocultaram informação, prenderam jornalistas, não expuseram a verdadeira gravidade da ameaça e criminalizaram pessoas com o pretexto de terem divulgado informação falsa", denunciou David Kaye.

Assuntos Internacional  

Leia também
  • 14/07/2020 01:46:27

    Merkel incerta sobre aprovação do plano de relançamento europeu

    Berlim - A chanceler alemã, Angela Merkel, manifestou nesta segunda-feira incerteza pela possibilidade de um acordo entre os 27 países da União Europeia (UE) sobre um plano de relançamento de 750 mil milhões de euros proposto para enfrentar a pandemia do coronavírus.

  • 14/07/2020 00:01:18

    Escolas só devem reabrir com transmissão comunitária controlada, diz OMS

    Genebra - A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomendou nesta segunda-feira que só se reabram as escolas quando a transmissão comunitária do novo coronavírus esteja controlada, admitindo que falta saber muito sobre o papel das crianças na pandemia.

  • 13/07/2020 22:01:01

    Presidente do Kosovo em Haia para depor perante justiça internacional

    Pristina - O Presidente do Kosovo, Hashim Thaçi, deslocou-se hoje a Haia para enfrentar os procuradores que o indiciaram por crimes de guerra durante e após a guerra contra a Sérvia, uma visita que definiu como o "preço da liberdade" para o seu país.