Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

03 Agosto de 2020 | 19h31 - Actualizado em 03 Agosto de 2020 | 16h17

Primeiro-ministro britânico lamenta morte do "gigante político" John Hume

Londres - O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, lamentou hoje a morte do político John Hume, descrevendo-o como um "gigante político" e lembrando que, sem ele, a Irlanda do Norte não teria feito um acordo de paz.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Boris Johnson, Primeiro-Ministro Britânico (Foto arquivo)

Foto: Divulgação

John Hume, Prémio Nobel da Paz e artífice da reconciliação da província britânica, marcada por décadas de conflito, morreu hoje aos 83 anos, anunciou a família.

Em comunicado divulgado no Twitter, Boris Johnson disse que Hume sempre foi contra a violência e queria atingir os seus objectivos "de forma pacífica e democrática".

"Durante décadas, (Hume) tentou resolver os problemas na Irlanda do Norte através do diálogo e de um acordo. Sem John Hume, não haveria acordo de Belfast", sublinhou o primeiro-ministro britânico.

O acordo de Belfast, também conhecido por acordo da Sexta-feira Santa, foi assinado em Abril de 1998 pelos governos britânico e irlandês para pôr fim ao conflito entre nacionalistas e unionistas sobre a questão de unir a Irlanda do Norte à República da Irlanda ou mantê-la como parte do Reino Unido.

Na nota hoje divulgada, Boris Johnson destacou que Hume, ex-líder do Partido Democrata e Trabalhista (SDLP), conduziu o processo com "grande distinção", graças a um "grande sentido de justiça social".

"Com a sua morte, perdemos um grande homem, que tanto fez para acabar com o conflito (da Irlanda do Norte) e construir um futuro melhor para todos", acrescentou.

"A sua visão deu lugar a uma Irlanda do Norte estável, positiva e dinâmica, como é hoje, e a sua morte constitui uma lembrança poderosa sobre o quão longe chegou a Irlanda do Norte", disse Johnson, que enviou condolências à família Hume.

Também Gerry Adams, ex-presidente do Sinn Fein, antigo braço político do desactivado Exército Republicano Irlandês (IRA, na sigla em inglês), homenageou hoje John Hume, com quem manteve um diálogo-chave para o processo de paz na Irlanda do Norte.

"Neste triste dia, devo dizer que não teríamos a paz de que desfrutamos hoje se não fosse por John Hume", disse Gerry Adams aos 'media'.

John Hume, que recebeu o prémio Nobel da Paz pelo seu trabalho no processo de paz daquela província britânica, estava internado num lar de idosos em Londonderry, no noroeste da Irlanda do Norte.

"Estamos profundamente tristes por anunciar que John morreu hoje, pacificamente, depois de uma curta doença", referiu um comunicado da família.

Assuntos Internacional  

Leia também