Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

18 Outubro de 2020 | 08h31 - Actualizado em 18 Outubro de 2020 | 07h41

Milhares de mulheres nas ruas nos EUA contra nomeação de juíza ultraconservadora

Washington - Milhares de mulheres manifestaram-se este sábado, em várias cidades norte-americanas, contra a nomeação da juíza ultraconservadora Amy Coney Barrett para o Supremo Tribunal, feita pelo Presidente Donald Trump, dias antes das eleições presidenciais de 03 de Novembro.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Mapa dos Estados Unidos da América

Foto: Divulgação

As manifestações ocorreram no meio do processo de confirmação da nomeação de Amy Coney Barrett pelo Senado, que deverá validá-la em 26 de Outubro.

Trump e os senadores republicanos, que representam a maioria no Senado, aceleraram o processo para confirmar a nomeação de Barrett antes das eleições, às quais o actual Presidente se recandidata pelo partido republicano, depois de a juíza progressista Ruth Bader Ginsburg, pioneira do feminismo e dos direitos reprodutivos, ter morrido em Setembro.

Na capital, Washington, as manifestantes estiveram junto ao Capitólio e acabaram na ampla zona ajardinada que une a sede do Congresso à Casa Branca.

Paralelamente, a organização Voz das Mulheres Independentes promoveu uma concentração de apoio à juíza Amy Coney Barrett em frente à sede do Supremo Tribunal.

Em Nova Iorque, cerca de 300 manifestantes juntaram-se na praça Washington, envergando bonés rosa e cartazes de apoio ao candidato presidencial democrata Joe Biden ou em memória da juíza Ruth Bader Ginsburg.

Ouvida esta semana pela comissão judicial do Senado, Amy Coney Barrett prometeu manter a sua fé longe do seu trabalho como juíza, recusando-se, no entanto, a clarificar uma série de assuntos, como o direito das mulheres norte-americanas ao aborto, ao qual se opõe e que o Supremo Tribunal reconheceu em 1973.

Assuntos Manifestações  

Leia também
  • 16/10/2020 16:16:40

    Polícia usa canhões de água para dispersar manifestantes em Banguecoque

    Banguecoque - A polícia usou hoje canhões de água em Banguecoque para tentar dispersar centenas de manifestantes que desafiaram a proibição de reunião de mais de cinco pessoas, imposta pelo Governo da Tailândia, para exigir a demissão do primeiro-ministro, noticiou a Lusa.

  • 12/10/2020 20:31:55

    Minsk ameaça recorrer a balas reais para travar protestos

    Minsk - A polícia bielorrussa irá recorrer "se necessário" a balas reais e a "equipamentos especiais" para travar os protestos anti-governamentais no país, advertiu hoje o Ministério do Interior da Bielorrússia, argumentando que a contestação se radicalizou, noticiou a Lusa.

  • 12/10/2020 16:08:57

    Mais de 700 pessoas detidas em dia de protestos contra Lukashenko

    Minsk - Mais de 700 pessoas foram detidas durante as manifestações que regressaram no domingo às ruas da Bielorrússia para contestar a reeleição do Presidente Alexander Lukashenko, naquela que terá sido a mais dura repressão policial em várias semanas de protestos.