Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Lazer e Cultura

08 Janeiro de 2011 | 09h12 - Actualizado em 08 Janeiro de 2011 | 09h12

Descobertas 11 novas estações rupestres no Namibe

Cultura

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Namibe - Onze novas estações rupestres foram descobertas, nos últimos três anos, na província do Namibe , perfazendo assim um total de 15, disse hoje à Angop o chefe de departamentos da Cultura local, Benjamim Fernandes.

Benjamim Fernandes fez tal pronunciamento numa palestra subordinada ao tema "Valorização, conservação e protecção do património histórico e cultural", no âmbito das comemorações do 8 de Janeiro, dia da Cultura Nacional, que hoje se assinala.

Benjamin Fernandes disse que a maior estação rupestre é a do Muliolia, situado na localidade do Caraculo, município da Bibala, cerca de 30 quilómetros da sede capital da província, por albergar cerca de mil figuras, situada numa rocha.

"É quase impossível contar, porque muitas destas pinturas encontram-se sobrepostas as outras, o que dificulta a sua contagem, e assim podemos afirmar que a província do Namibe, nos últimos três anos, fez a descoberta de 11 estações rupestres, a que adiciona as três inicialmente existentes?, acrescentou o responsável .

Disse ainda que com a descoberta destas 11 novas estações a província sai a ganhar pois as atenções do sector da Cultura estarão mais direccionada por esta região, desde a presença dos turistas, arqueólogos, pesquisadores da UNESCO, comunidade cientifica internacional, o que vai permitir o desenvolvimento económico e sócio-cultural da cidade da Welvitchia Mirabilis .

As referidas estações rupestres apresentas figuras geométricas, animais selvagens, felinos, cenas de caça entre homens e animais, símbolos de cura e de espiritismos dos antepassados, objectos que retratam a natureza desenhados e pintados com cores branca, preta e vermelho umas já em mau estado de conservação devido a erosão e as chuvas e do vandalismo do próprio homem.

Benjamin Fernandes afirma, por outro lado, que a estação do Tchitundo-hulu será levada este ano a categoria de património histórico mundial, a partir deste ano (Março) entra na lista indicativa para património mundial da UNESCO .

" Com base nisto o sector passará a contar com uma série de apoio por parte da UNESCO como a formação de quadros e de técnicos a protecção e digitalização de todas técnicas necessárias a serem integradas nas pinturas rupestres e a gestão de sítios arqueológicos ", referiu.

Quanto a protecção das estações rupestres ou patrimónios culturais, o ministério da Cultura elaborou um programa junto do governo da província do Namibe e este, por sua vez, comprometeu-se em apoiar e brevemente sairá uma resoluções a respeito desta situação para uma protecção mais efectiva de todas as estações.

As estações rupestres são denominadas por Majole, Kenguerera I e II , Vihailo I e II , Mannkombo está com um número reduzido de gravuras e em estado de degradação , OKaka , Cikotowe, Muliolia e do Cintundu-hunlu , situadas no município do Kamucuio , Virei e Bibala .

Afirmou ainda que as estações rupestres do Tchitundo-hulu tem uma idade de mais de quatro mil anos e tem uma particularidade de pinturas e gravuras num único local e ela é o ponto de partida das artes rupestres de África tendo o seu inicio na província do Namibe.

Assuntos Província » Namibe  

Leia também