Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Lazer e Cultura

01 Setembro de 2016 | 03h30 - Actualizado em 01 Setembro de 2016 | 06h59

Angola: Ngonguita Diogo brinda público com poesia no Centro Cultural Brasil-Angola

Luanda - A escritora Ngonguita Diogo promoveu quarta-feira um recital de poesia no auditório do Centro Cultural Brasil-Angola (CCBA), em Luanda, onde poemas de sua autoria e de Agostinho Neto preencheram a cerimónia.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Declamadora angolana Ngoguita Diogo

Foto: Nelson Malamba

Mário Arsénio, António Gonçalves e Luís Rosa Lopes foram outros autores “chamados a emprestar os seus escritos” nesta ocasião partilhada por outros declamadores como Ângelo Reis (Poeta dos Pés Descalços), Amélia da Lomba, John Bella e Kiocamba Cassua, enquanto o pianista Jaime Chacale e os trovadores Júlio Gil e Círios promoviam o som ambiente.

A cerimónia reservou espaço para a actuação do grupo  Nai, que exibiu a peça inspirada na obra de Ngonguita Diogo, intitulada “Acudam Maria do Rangel.”

Em entrevista à  Angop, a escritora  disse que o recital foi interactivo e serviu para  animar a assistência.

“Foi  um  momento em que eu  procurei  oferecer ao público um recital de poesia da minha autoria e de outros poetas, portanto houve nesta noite interacção com outros escritores”, salientou.

Ngonguita Diogo, pseudónimo literário de Etelvina da Conceição Alfredo Diogo, nasceu no dia 4 de Maio de 1963, em Cazengo (Ndalatando), província do Cuanza Norte.

Foi descoberta no mundo literário em 2004 pelo escritor e amigo John Bella. A sua estreia aconteceu em 2010, por sinal, no ano em que completou 47 anos de idade.

A escritora já  lançou  no mercado   literário  obras  como: “No Mbinda o ouro é sangue” (2010), reeditado no Brasil, “Lesa a princesa” (2010), reeditado em Portugal, “Sinay” (2011), reeditado no Brasil, “A minha baratinha” (2011), “Acudam Maria do Rangel” (2013) e “Da alma ao corpo” (2014) e conta também com um CD de poemas intitulado “ E assim Virei Maria”

A escritora é membro  Movimento Lev' Arte  e da Academia de Letras do Brasil de São José do Rio Preto, ocupando a cadeira nº 01 em Luanda.

Assuntos Literatura  

Leia também