Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Lazer e Cultura

12 Julho de 2017 | 15h24 - Actualizado em 12 Julho de 2017 | 15h25

Criadores felicitam autoridades pela inscrição de Mbanza Kongo como Património Mundial

Luanda- Jovens criadores angolanos felicitaram esta quarta-feira, em Lisboa (Portugal), o governo angolano, através do Ministério da Cultura e do governo do Zaire, e a comunidade científica angolana pela inscrição da cidade de Mbanza Kongo, antiga capital do Reino do Kongo, na lista do Património Cultural Mundial da Unesco.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Adido cultural, Luandino de Carvalho, recebe jovens criadores angolanos

Foto: Foto Cedida

Adido cultural, Luandino de Carvalho (à diret.), com David Goubel

Foto: Foto Cedida

A mensagem de felicitações foi transmitida pelo chefe da delegação dos jovens criadores angolanos, David Goubel, ao adido cultural da Embaixada de Angola em Portugal, Luandino de Carvalho, que integrou a equipa do Ministério da Cultura, chefiada pela ministra Carolina Cerqueira, em Carcóvia (Polónia).

O Centro Histórico da Cidade de Mbanza Kongo ganhou  sábado (8 de Julho de 2017) o estatuto de Património Cultural Mundial, fruto da inclusão na lista de bens e sítios culturais, protegidos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

A candidatura de Mbanza Kongo teve votação unânime dos membros do Comité do Património Mundial durante a 41ª sessão do Comité do Património Mundial.

Desde a fundação do reino do Kongo no século XIII, a cidade de Mbanza Kongo foi a capital, o centro político, económico, social e cultural, sede do rei e a sua corte, e centro das decisões.

Mbanza Kongo foi, no século XVII, a maior vila da Costa Ocidental da África Central, com uma densidade populacional de 40 mil habitantes (nativas) e quatro mil europeus.

Com o seu declínio, a cidade que se encontrava no centro do reino em plena “idade de ouro” transformou-se numa vila mística e espiritual do grupo etnolinguístico kikongo e albergou as repúblicas de Angola, Democrática do Congo, Congo Brazzaville e Gabão.

Com uma superfície de 7 mil e 651 quilómetros quadrados, Mbanza Kongo é limitado a norte com o município do Kuimba e pela RDC, a sul e a este com a província do Uíge e a oeste com os municípios do Tomboco e Nóqui.

Com uma população estimada em 155 mil e 174 habitantes (dados do último censo), a cidade de Mbanza Kongo possui cinco bairros, nomeadamente Sagrada Esperança, 4 de Fevereiro, 11 de Novembro, Álvaro Buta e Martins Kidito.

Assuntos Angola  

Leia também