Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Lazer e Cultura

22 Março de 2018 | 17h26 - Actualizado em 22 Março de 2018 | 17h47

Kulumbimbi e Museu dos Reis do Kongo serão restaurados

Mbanza Kongo- A antiga Sé Catedral "Kulumbimbi" e o Museu dos Reis do Kongo, em Mbanza Kongo, beneficiarão, no decorrer deste ano, de obras de restauração, no âmbito do programa de investimentos públicos (Pip) do governo provincial do Zaire.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

MUSEU DOS REIS DO kONGO

Foto: Pedro Moniz Vidal

O anúncio foi feito nesta quinta-feira pelo governador José Joanes André, avançando que o lançamento dos concursos públicos para a concretização das empreitadas será feito nos próximos dias, para os quais espera contar com a contribuição dos munícipes locais.

No caso específico das ruínas da antiga Sé Catedral, segundo José Joanes André, vai exigir a contratação de especialistas em restauração para salvaguardar o seu aspecto arquitectónico original, ao passo que o Museu vai ser reabilitado e ampliado, incluindo a construção de um centro de interpretação.

O governante, que falava na cerimónia de abertura do seminário provincial sobre Orçamento Geral do Estado (OGE) para 218 e Lei dos Contratos Públicos, explicou que estas obras enquadram-se no programa de requalificação do Centro Histórico de Mbanza Kongo, inscrito na lista do Património Mundial, a 8 de Julho de 2017.

A antiga Sé Catedral “ Kulumbimbi” (local sagrado ou de culto) foi construída de Maio a Julho de 1491 por padres Jesuítas e elevada a esta categoria em 1596, sendo a primeira igreja edificada na África Subsariana.

A mesma mereceu a visita do Papa João Paulo II em 1992 aquando da sua deslocação a Angola.

O Museu dos Reis do Kongo, por sua vez, foi no passado uma residência real construída em 1903, até a última sucessão do trono ocorrida na década de 60. Após a independência nacional, a residência tornou-se como Museu do Reino do Kongo.

O recinto permaneceu encerrado durante anos devido ao conflito armado, tendo sido reaberto de forma definitiva em 2007, após beneficiar de obras de restauro e ampliação, passando desta feita a designar-se Museu dos Reis do Kongo.

Cerca de 100 peças museológicas que espelham a vida no antigo Reino do Kongo, os hábitos, costumes e as tradições dos seus habitantes, assim como objectos de uso pessoal dos reis e das rainhas que passaram pelo trono estão expostas no recinto, actualmente.

Leia também
  • 05/11/2018 12:40:33

    Futuro museu projectado para os países integrantes do antigo Reino do Kongo

    Mbanza Kongo - A estrutura arquitectónica do futuro museu do Reino do Kongo a ser erguido na cidade de Mbanza Kongo, província do Zaire, comportará três pilares que simboliza os três países que integravam o antigo Reino, nomeadamente República Democrática do Congo, Congo Brazzaville e Gabão, afirmou domingo, nesta cidade, o director do gabinete local da Cultura, Biluka Nsakala Nsenga.

  • 03/11/2018 15:29:32

    Alemanha promete apoiar futuro Museu de Antropologia de Mbanza Kongo

    Mbanza Kongo - O embaixador da República da Alemanha em Angola, Dirk Lolke, disse hoje, sábado, em Mbanza Kongo, província do Zaire, que o seu país está disposto em apoiar o futuro Museu de Antropologia a ser erguido nesta capital do antigo Reino do Kongo, nos próximos tempos.

  • 02/11/2018 15:47:36

    Justino Handanga anima show independência no Soyo

    Soyo - O músico Justino Handanga vai neste sábado, no centro cultural Cantinho do Musseque, na cidade do Soyo, província do Zaire, animar um espectáculo musical em saudação ao dia da Independência Nacional, a assinalar-se no próximo dia 11 de Novembro.

  • 02/11/2018 15:13:45

    Tradição de Mbanza Kongo assemelha-se com a do Israel, diz embaixador

    Mbanza Kongo - O embaixador de Israel em Angola, Oren Rozenblat, afirmou quinta-feira, em Mbanza Kongo, província do Zaire, que parte da tradição da antiga capital do Reino do Kongo assemelha-se com a do seu país, sobretudo em termos das 12 fontes desta cidade património com as 12 tribos.